Ver Carrinho “O ELO INVISÍVEL” foi adicionado ao seu carrinho.
  • Um Anjo Indicou-me o Caminho

    0 de 5

    Sim, o Shatner do título é o actor cromo de Star Trek, se bem que na perspectiva de “Where’s Captain Kirk?”, canção da banda punk Spizz Energi. William Shatner é referido no livro, mas não está nele. Na verdade, nem o autor sabe onde está. Do dito Shatner só interessa para o enredo que, num episódio desse clássico televisivo de ficção científica, era ele o fagotista de um grupo de música de câmara.

    Yep: logo à partida, as referências musicais deste novo caudal de frases de Rui Eduardo Paes (carinhosamente mais conhecido por REP) – porque é de um livro sobre música que se trata – estão no rock and roll e na clássica, ainda que para falar de jazz, de improvisação e dessa música que se diz ser “experimental”. Também se passa pelo hip-hop queer e pelo nintendocore, por exemplo, mas afinal nenhuma forma de arte é uma ilha e tudo está, de alguma maneira, interligado. Até quando o que encontramos são as des-associações reais ou quimicamente induzidas que constituem a realidade. Os contos desta, nas páginas que aqui estão dentro, são os do sexo, da loucura e da morte.

    A música não comunica nada, segundo Gilles Deleuze? Mentira: comunica-nos o desejo, esse grande motor do nosso quotidiano, a esquizofrenia que nos define como humanos e a atribulada relação que temos com a Grande Ceifeira. Para ler em ritmo de corrida, porque foi escrito em ritmo de corrida.

    18.90€
  • Agostinho Neto – Da guerrilha aos primeiros anos da independência

    0 de 5

    Sim, o Shatner do título é o actor cromo de Star Trek, se bem que na perspectiva de “Where’s Captain Kirk?”, canção da banda punk Spizz Energi. William Shatner é referido no livro, mas não está nele. Na verdade, nem o autor sabe onde está. Do dito Shatner só interessa para o enredo que, num episódio desse clássico televisivo de ficção científica, era ele o fagotista de um grupo de música de câmara.

    Yep: logo à partida, as referências musicais deste novo caudal de frases de Rui Eduardo Paes (carinhosamente mais conhecido por REP) – porque é de um livro sobre música que se trata – estão no rock and roll e na clássica, ainda que para falar de jazz, de improvisação e dessa música que se diz ser “experimental”. Também se passa pelo hip-hop queer e pelo nintendocore, por exemplo, mas afinal nenhuma forma de arte é uma ilha e tudo está, de alguma maneira, interligado. Até quando o que encontramos são as des-associações reais ou quimicamente induzidas que constituem a realidade. Os contos desta, nas páginas que aqui estão dentro, são os do sexo, da loucura e da morte.

    A música não comunica nada, segundo Gilles Deleuze? Mentira: comunica-nos o desejo, esse grande motor do nosso quotidiano, a esquizofrenia que nos define como humanos e a atribulada relação que temos com a Grande Ceifeira. Para ler em ritmo de corrida, porque foi escrito em ritmo de corrida.

    20.00€
  • Por ti e para ti

    0 de 5

    Sim, o Shatner do título é o actor cromo de Star Trek, se bem que na perspectiva de “Where’s Captain Kirk?”, canção da banda punk Spizz Energi. William Shatner é referido no livro, mas não está nele. Na verdade, nem o autor sabe onde está. Do dito Shatner só interessa para o enredo que, num episódio desse clássico televisivo de ficção científica, era ele o fagotista de um grupo de música de câmara.

    Yep: logo à partida, as referências musicais deste novo caudal de frases de Rui Eduardo Paes (carinhosamente mais conhecido por REP) – porque é de um livro sobre música que se trata – estão no rock and roll e na clássica, ainda que para falar de jazz, de improvisação e dessa música que se diz ser “experimental”. Também se passa pelo hip-hop queer e pelo nintendocore, por exemplo, mas afinal nenhuma forma de arte é uma ilha e tudo está, de alguma maneira, interligado. Até quando o que encontramos são as des-associações reais ou quimicamente induzidas que constituem a realidade. Os contos desta, nas páginas que aqui estão dentro, são os do sexo, da loucura e da morte.

    A música não comunica nada, segundo Gilles Deleuze? Mentira: comunica-nos o desejo, esse grande motor do nosso quotidiano, a esquizofrenia que nos define como humanos e a atribulada relação que temos com a Grande Ceifeira. Para ler em ritmo de corrida, porque foi escrito em ritmo de corrida.

    9.90€
  • AMADIS DE GAULA – LIVRO 1

    0 de 5

    Estas são as fantásticas aventuras do cavaleiro Amadis de Gaula e da sua
    amada Oriana. Odiado pelo mago Arcalaus e protegido pela misteriosa Urganda,
    Amadis terá de encontrar o seu lugar no Mundo e lutar pela justiça.
    Um romance de fantasia medieval, absolutamente seminal para a história da
    ficção Ibérica, tal como ciclo do Graal do Rei Artur o é para Inglaterra.
    Tradução em Português a partir da versão mais antiga conhecida, a de 1508
    em castelhano, pela Professora Graça Videiro Lopes.
    Prefácio de Nuno Júdice.
    Amadis de Gaula foi um “best seller” medieval/renascentista e, graças à não
    existência de direitos de autor na altura, sofreu várias sequelas, spin-offs e obras
    paralelas nele directamente inspiradas.
    A importância deste romance pode-se ver reflectida no facto de ser um dos
    poucos livros que não foram destruídos pelos amigos de D. Quixote ao tentarem
    salvar o Cavaleiro da Triste Figura da sua loucura, por considerarem tratar-se de
    um dos poucos bons livros de romances de cavalaria.
    Já no plano da não-ficção, quando os primeiros exploradores chegaram a
    Aztec, a capital de Tenochtitlan exclamaram “Ficámos maravilhados. Dissemos que
    se parecia com as coisas encantadas de que falam no livro do Amadis”.

    20.00€
  • ROTXA SCRIBIDA

    0 de 5

    Dezassete anos em Cabo Verde impregnaram o Autor de cabo-verdianidade. Foram usos e costumes, foram hábitos e tradições, foi toda uma cultura crioula e até mesmo o seu linguajar muito especial que em quase duas décadas moldaram-lhe o ânimo e espírito tal como a bruma seca que, por longos períodos durante o ano, sobrevoa as ilhas.

    Rotxa Scribida (nome de um dos “mistérios” que povoam as ilhas) é o mais recente livro de poemas de Nuno Rebocho, escritos durante a sua estadia em Cabo Verde.

    10.00€
  • USSU DE BISSAU

    0 de 5

    MILHARES DE CRIANÇAS DA COSTA OCIDENTAL AFRICANA CONTINUAM A SER
    SUJEITAS AOS TERRÍVEIS RISCOS DOS MAUS TRATOS, DA VIOLAÇÃO, DA MENDICIDADE
    E DA MISÉRIA.
    Ussu de Bissau conta a história ficcionada de uma criança talibé, retratando afinal
    uma realidade bem mais cruel do que se pode imaginar.
    “Ussu de Bissau, para além de ser um notável utensílio pedagógico de construção de
    consciência a partir do drama da privação, exploração e tortura, (…) revela-se uma
    importante produção literária, não fantasista, mas de posicionamento cívico…”
    Excerto do Prefácio [Aua Baldé e Miguel de Barros]

    10.90€
  • PACTO

    0 de 5

    “QUAL O SIGNIFICADO DA VIDA? NESTE LIVRO, MIGUEL ALMEIDA, AUTOR MADURO
    E SENSÍVEL, UTILIZA A SUA VOZ POÉTICA ÚNICA PARA SE DEBRUÇAR SOBRE ESTA
    QUESTÃO E OUTRAS IGUALMENTE ESSENCIAIS. AS SUAS RESPOSTAS SÃO FREQUENTEMENTE
    SURPREENDENTES…” RICHARD ZIMLER
    “Miguel Almeida é um poeta-filósofo que faz do ponto de interrogação a sua arma, o
    motor para avançar no seu tempo, no nosso tempo, sempre em busca de respostas
    que sabe não existirem cabalmente… Vale a pena ler sem pressas este livro, mastigá-
    lo,
    degustá-lo, retirar dele o prazer de se confrontar com cada poema, dar-lhe luta,
    até. Pacto é uma grata possibilidade de leitura de uma escrita adulta, séria, desafiante.”
    Joaquim Pessoa
    “A poesia, neste maravilhoso livro, é uma porta pela qual Miguel Almeida passa para
    explorar os grandes temas da vida humana: a perda, a dor, a coragem, a felicidade, a
    solidariedade, o significado da existência e, naturalmente, a morte. É um enorme
    prazer acompanhá-lo nesta exploração.” Richard Zimler

    14.90€
  • O ELO INVISÍVEL

    0 de 5

    «A escrita é limpa. Depurada. Despojada de
    adereços, mas fulgente como a vida. A vida sem
    concessões», escreveu Paulo Neto, editor da
    revista literária “Aquilino”, sobre “O Elo Invisível”,
    livro de estreia de Patrícia Maia Noronha.
    O arranque literário da autora, já distinguida com
    uma menção honrosa no Prémio Literário Alves
    Redol, foi editado pela Gato Bravo e reúne um
    conjunto de 17 contos em que a conexão, o elo, é
    um tema recorrente.
    «O humor, nos contos de Patrícia Maia Noronha,
    não obstante tudo o referido, também se
    presentifica, doseado com mestria, até quase
    pudor, de forma espontânea ou cáustica, com
    ironia leve ou calçadeira de um sarcasmo»,
    escreveu Paulo neto, no prefácio da obra.

    12.00€
  • SONHOS & DESVARIOS

    0 de 5

    Os 15 contos que compõem o livro Sonhos & Desvarios foram inspirados em sonhos e em imagens que a autora deles conseguiu reter. A partir de seu universo onírico, Fátima Bettencourt narra histórias como o insólito cortejo fúnebre de uma elegante senhora, um automóvel que desenvolve dotes de inteligência, julgamento e condenação ou a emersão de uma Vénus igual à de Botticelli durante uma hecatombe planetária.

    10.00€
  • VEROMAR

    0 de 5

    Veromar, nome de uma cidade que nasce de um “erro”, é o título do novo romance de Dina Salústio. Numa narrativa com marcas do realismo mágico, o livro aborda questões como a violência contra as mulheres e as crianças, o abandono e a indiferença.

    15.00€
  • UMA NOITE DE INSÓNIA

    0 de 5

    PRÉMIO NOBEL DA LITERATURA 1996 | ANTOLOGIA INÉDITA
    Teresa Fernandes Swiatkiewicz seleccionou e traduziu 14 poemas de Wisława Szymborska.
    Paula Arrais de Abreu ilustrou.
    Uma noite de insónia reúne um conjunto de poemas sobre animais, escritos entre
    1952 e 2011, apresentando-se como um bestiário poético portador de uma mensagem
    ecocrítica e ecológica em defesa dos seus direitos e dignidade.
    Esta antologia temática, inédita porque nunca antes estes poemas tinham sido reunidos
    num volume, destina-se a leitores de todas as idades que apreciam, na literatura,
    a sua capacidade para nos pôr a pensar sobre o mundo em que vivemos e o modo como
    nele atuamos.

    10.90€
  • VIRTUDE E CRIME

    0 de 5

    A alemã Berta Nora conta -nos como a vida lhe teceu
    armadilhas repletas de ironias e revelações chocantes. Como a sua história
    a levou a amadurecer e a encontrar o
    seu caminho de dignidade e auto-realização…

    12.00€
  • DAKOTA E A VILA DO SOL

    0 de 5

    Domingo, em algum lugar no sul da Europa. As mulheres estendem as suas roupas, os
    homens preparam-se para o jogo de xadrez que faz parte da tradição da pequena vila, e
    as crianças brincam sem noção do tempo e sem perigo algum. Vila do Sol está encravada
    no meio de um grande vale, cercada de colinas e serras, onde o sol nasce e fica e recolhese
    apenas para deixar a lua brilhar.
    O relógio aponta onze e quarenta e cinco da manhã. Da pitoresca calçadinha, é possível
    avistar o trem, que acabou de deixar seus passageiros na estação. Com passadas rápidas
    e leves e usando um vestido preto colado ao corpo, Dakota passa por Jaime e Inocêncio.
    Os dois velhos amigos interrompem a conversa e suspendem a respiração.
    Pouco depois, um grito de pavor os arranca de seu jogo. No centro da vila, a poucos
    metros da igreja, eles encontram Dakota ajoelhada no chão, balbuciando com as mãos
    ensanguentadas: − Ela está morta!
    Um caso misterioso. Para esclarecê-lo, o capitão Maya da polícia local pede ajuda ao
    grande detetive Roseta, homem vaidoso e bom conhecedor de vinhos.

    12.00€
  • PALAVRAS DE FOGO

    0 de 5

    Os poemas que constituem o livro Palavras de Fogo, de Jidi Majia, traduzido por José Luís Peixoto, são abertamente identitários. O eu poético confunde-se com o autor sem qualquer constrangimento, são diversas as ocasiões em que se refere o próprio nome de Jidi Majia no interior de poemas. E, também dessa forma despudorada, desenvolve-se bastante o sentimento de pertença, a defesa das origens, a assunção apaixonada de uma identidade local e cultural. Esse aspeto, no âmbito da história recente e da realidade chinesa contemporânea, assume uma dimensão política muito forte, explicitada em múltiplas passagens. Ainda assim, sem contradizer estas características, é muito evidente que não estamos perante uma forma de poesia apenas “local” ou, se preferirmos, “étnica”. Jidi Majia refere-se de modo abundante e direto ao vasto mundo, com referências concretas e a defesa inabalável de uma postura humanista.

    15.00€
  • A SEDUTORA TINTA DE MINHAS NOUTES

    0 de 5

    O livro A sedutora tinta das minhas noutes, de Jorge Carlos Fonseca, um dos grandes poetas contemporâneos de Cabo Verde, é uma seleta de textos poéticos, uns inéditos, outros de livros anteriores do autor, feita pelo seu conterrâneo o escritor Arménio Vieira, assim como textos de fortuna crítica sobre o conjunto da sua obra poética por parte de ensaístas e de escritores. O livro – décima publicação da coleção poética Rose is a rose is a rose, da Rosa de Porcelana Editora – de pendor abstracionista, sendo o autor um dos cultores da poesia surrealista na literatura cabo-verdiana, tem como figurino de capa um quadro do artista plástico e poeta luso-cabo-verdiano António Pedro, no ano de celebração do 110º aniversário do seu nascimento.

    15.00€
  • SER ALICE

    0 de 5

    O AMOR É SOBRE FICAR. Na vontade de permanecer, na saudade que a ausência
    impõe.
    O AMOR TEM DE SER FÁCIL. Tem de nos transportar e fazer levantar os pés do chão.
    Tem de ficar marcado na pele. Sem medo, sem hesitação, sem culpa e sem a dúvida
    que mata.
    O AMOR É A CERTEZA DA VIDA. Desta vida e não de outra.
    Talvez amar nos assuste. Talvez amar seja isso. O susto constante da perda de nós
    para acordarmos.
    Vamos então soltar as palavras. Aquelas que nos afligem e consomem. Aquelas que
    nos matam lentamente.
    Palavras que, soltas, podem voar e transformar-se em comportamentos, acções e hábitos.
    QUE HÁBITO MELHOR QUE AMAR?

    12.00€
  • O TÚNEL DAS INTENÇÕES

    0 de 5

    UM THRILLER INTENSO E EMPOLGANTE.
    Um laboratório de pesquisa biomédica desenvolve um projecto de investigação que
    visa criar um medicamento com ervas e germes benignos recolhidos próximo de
    Machu Picchu. Pretende-se obter a cura de inúmeras doenças e prevenir algumas perturbações
    de extrema gravidade. Mas o produto gera também uma propensão para o
    prolongamento substancial do tempo de vida do ser humano.
    Suspense, conspiração e tensão permanente… a máfia russa e o Sendero Luminoso… o
    povo Ashaninka e um xamã com 138 anos… cientistas assassinados, investigações
    policiais fracassadas, mensagens misteriosas, interesses financeiros e geopolíticos
    que se entrecruzam…

    16.90€
  • O MILAGRE DA VIDA

    0 de 5

    AMA, SONHA, LUTA, CONQUISTA, COMETE LOUCURAS,
    ERRA MUITO, APRENDE MUITO: VIVE!
    Quero ser feliz! Preciso de amar!
    Lembra-te: o presente é o agora, e só o agora te poderá proporcionar o Milagre da
    Vida.
    Leonardo era um jovem sem-abrigo que perdera tudo: família, casa, emprego e dignidade.
    Quando decidiu acabar com a sua vida, Lara apareceu. Bela, misteriosa e
    alegre, ensinar-lhe-á o significado dos Milagres da Vida e como viver cada dia como
    se fosse o último. Surge assim a oportunidade de lutar por um novo caminho para a
    felicidade. Surge a esperança…
    Uma história fascinante de superação, de amor e de crença na constante possibilidade
    de novos começos.

    14.90€
  • DIZER O INFINITO EM AIS DE BRILHO E ESPANTO

    0 de 5

    “Para ler a poesia de Aires Gameiro é urgente despovoar-se das ideias e dos pensamentos
    e sentir cada uma das suas palavras arrumadas em verso, com múltiplas facetas.
    Diz-nos o autor que ‘cada poesia é uma ousadia’ e que ‘poetar é mudar a prosa
    em luar’… Assim sente o poeta, que na busca do indizível sabe que as palavras trazem
    mudança e nascem nos dias claros e inspiradores, até adormecerem amadurecidas,
    já sem sol, iluminadas pelo luar…!” Délia Gomes

    14.90€
  • ESPREITAR A FAMA

    0 de 5

    NO MUNDO TRAIÇOEIRO DOS FAMOSOS, DIFERENTES PERCURSOS DE VIDA ACABAM,
    AFINAL, POR REVELAR O VERDADEIRO SIGNIFICADO DA PALAVRA AMOR.
    Luana quer ser atriz, Marta quer ser famosa.
    Quando aquela miúda da Serra da Estrela, correndo atrás do seu sonho, veio a Lisboa
    fazer um casting, a sua vida mudou para sempre. Entrando no mundo da fama, descobriu
    que nem tudo era tão cor-de-rosa como imaginava…
    As tumultuosas relações com a imprensa, que se cruzam com o amor, a amizade, a
    traição e a corrupção, confrontam Luana com enormes dificuldades e obrigam-na a
    pagar um preço elevado pelas suas opções. No final, percebemos que para nos libertarmos
    das amarras que querem impor-nos precisamos de ter coragem para lutar contra
    o preconceito.
    Neste romance intenso, dinâmico e arrebatador, que também nos oferece momentos
    divertidos e alguns mistérios por desvendar, a emoção está sempre presente e leva-
    nos a refletir sobre princípios e valores.

    15.90€