Ver Carrinho “A PUREZA PERDIDA DO DESPORTO: FUTEBOL NO ESTADO NOVO” foi adicionado ao seu carrinho.
  • A PUREZA PERDIDA DO DESPORTO: FUTEBOL NO ESTADO NOVO

    0 de 5

    Entre a década de 1920 e meados da década de 1960, o futebol elitista do início do século XX transformou-se num dos elementos centrais da cultura popular portuguesa contemporânea. Ao longo deste período, o futebol português deixou de ocupar uma posição periférica no contexto europeu para assumir um lugar de destaque no plano internacional. Estas mudanças são muitas vezes explicadas por factores políticos – o Estado Novo fomentou o crescimento deste desporto – e analisadas em função das suas consequências culturais – a massificação do gosto pelo futebol foi um dos elementos que contribuíram para a durabilidade do regime. Trata-se de uma ideia que, através da fórmula «Fado, Fátima e Futebol», adquiriu a firmeza das convicções do senso comum.

    Este trabalho – distinguido, em 2015, com o Prémio Fundação Mário Soares/EDP e com uma menção honrosa no Prémio CES para jovens cientistas sociais de língua portuguesa – analisa em detalhe a forma como as principais instituições do Estado Novo se relacionaram com o mundo desportivo. A evolução do estatuto dos atletas, e a oposição entre os defensores do amadorismo e do profissionalismo, é o  o condutor desta narrativa. Integrando as batalhas que moldaram o desenvolvimento do futebol em Portugal no programa ideológico do salazarismo, esta investigação procura questionar os limites e as possibilidades de autonomia do campo cultural e contribuir para um conhecimento mais detalhado sobre as configurações do poder no espaço social português contemporâneo.

    19.10€