• MOONSHINE VOL.3 – QUERER A LUA

    0 de 5

    A série policial de terror que a Nerdist considerou “praticamente perfeita” regressa pela mão
    da equipa criativa responsável pelo seminal drama policial 100 Bullets!

    15.00€
  • FAITHLESS – VOLUME DOIS

    0 de 5

    Faithless – Faith embarca numa viagem ao interior do exclusivo mundo da arte com consequências demoníacas. depois de embarcar para Turim, o epicentro da magia negra, com os seus amantes Poppy e Louis.

    17.00€
  • FAITHLESS – VOLUME UM

    0 de 5

    Faith gosta de fingir que percebe de magia. Os amigos dela acham piada – e um pouco esquisito, claro – mas faz parte do charme dela, e da sua busca meio louca de propósito num mundo que faz demasiado sentido. Faith acredita mesmo, sabe que tem dentro dela algum tipo de poder. E, claro, ela tem razão… Simplesmente foi preciso que ela esperasse que essa magia, essa tentação, esse algo desconhecido, a encontrasse…

    Resumindo, Faith está “infernalmente” aborrecida – e o Inferno percebeu…

    Uma representação da fé, do sexo, e do Diabo na tradição da Divina Comédia.

    Numa narrativa que combina drama urbano e manipulação sobrenatural, quem sabe demoníaca, somos apresentados à protagonista, Faith, que cai sob a alçada de forças externas a si própria, quase irresistíveis, que a manipulam como se ela fosse apenas a sua marionete existencial. A queda de Faith nesse turbilhão de magia negra arrasta o leitor de maneira quase hipnótica para um mundo em que sexo e morte parecem estar inextricavelmente ligados, e para aquilo que parece ser a prefiguração de algum tipo de “fim do mundo”, com as cenas de sexo a evoluírem muitas vezes para momentos de horror e de destruição. Conseguirá a jovem Faith manter a sua sanidade e a sua individualidade para além da sua busca feroz da fama e de um lugar especial no mundo da arte a que aspira?

    16.00€
  • MOONSHINE VOL.2 – COMBOIO DO TORMENTO

    0 de 5
    14.00€
  • MOONSHINE VOL.1: SANGUE E WHISKY

    0 de 5

    Há coisas que vão sempre bem juntas, como café e bolachas de chocolate, bife e batatas fritas, ou Brian Azzarello e Eduardo Risso, uma das duplas de argumentista e artista mais famosas nos comics, que formam uma parceria que dura há já duas décadas. E Moonshine é a sua nova série independente, uma colaboração que iniciam num comic que nos levará pelos anos 1920 e a Era da Proibição, com gangsters, traficantes, e… lobisomens?

    Durante a Proibição, Lou Pirlo, um gangster de Nova Iorque a soldo de um dos maiores reis do crime da cidade, tem de viajar para os isolados Montes Appalachia e descobrir um fornecedor de bebida ilegal. Mas o que ele descobre na realidade, é um terrível segredo sobrenatural que não pode nunca ser revelado à luz do dia, ou melhor… nunca poderá ver a luz da lua cheia!

    “Moonshine tem uma atmosfera que nos assombra e seduz, e que torna a história tão cativante quanto misteriosa. Azzareloo e Risso conseguiram criar mais um best-seller!”

    – IGN

    “Um livro quase perfeito.”

    – Nerdist

     Brian Azzarello é um hoje um dos mais conhecidos argumentistas dos comics americanos. A sua carreira iniciou-se na Vertigo, e um dos seus primeiros sucessos foi Johnny Double, que marcou também a sua primeira colaboração com Eduardo Risso, e que levaria pouco tempo depois ao lançamento de 100 Balas, talvez a mais conhecida obra desta dupla. Depois de muitos anos de trabalhos diversos para as principais editoras americanas, DC e Marvel, notabilizou-se mais recentemente pela sua colaboração com Frank Miller em The Master Race, a saga de Batman que é a conclusão de O Regresso do Cavaleiro das Trevas.

    Quanto a Eduardo Risso, já tinha construído uma longa carreira de sucesso na sua Argentina natal e na Europa, com destaque para os mercados italiano e espanhol, mas depois de ter ilustrado Johnny Double para Azzarello, o bom entendimento entre ambos levou a que iniciassem a série 100 Balas, que os propulsou para o estrelato dos comics. Ao longo dos anos colaborou extensamente com Azzarello, embora tenha também assinado álbuns para outros escritores, de que um bom exemplo é Wolverine: Logan, publicado pela G. Floy, com argumento de Brian K. Vaughan. Em 2018, Risso desenhou também o primeiro álbum de Torpedo em quase quinze anos, e neste Moonshine assina também as cores.

    Nos EUA o segundo volume da série sai em finais de Outubro deste ano, e tem lançamento previsto em Portugal no Verão de 2019. E qual o futuro para Moonshine? Azzarello afirmou recentemente que, “planeámos uns 30 números da série, até agora. Não quer dizer que não haja material e histórias para contar suficientes para estender Moonshine muito para além disso… mas acho que nunca haverá outro 100 Balas. Um é suficiente!”

    14.00€
  • CAGE

    0 de 5

    O herói da Marvel que deu origem à série da NETFLIX!

    Quando Luke Cage aceita investigar o assassinato de uma jovem adolescente, descobre que está a decorrer uma guerra entre três gangues diferentes pelo controlo do bairro a que chama lar. E que melhor maneira de quebrar um impasse do que oferecer os seus serviços a quem lhe pagar mais?

    Brian Azzarello é um dos mais aclamados escritores de comics da actualidade, criador de uma das mais premiadas e conhecidas séries independentes, 100 Bullets, e autor de várias sagas de super-heróis para a Marvel e a DC, onde adopta sempre um ponto de vista mais humano para analisar um mundo com super-poderes. Alguns dos títulos que ele assinou mais conhecidos incluem Joker, Lex Luthor ou Batman: Cidade Destroçada. Para a Marvel escreveu um notável Hulk em que colaborou pela primeira vez com Richard Corben, um artista com um talento ímpar e um estilo original, pelo qual foi eleito para o Will Eisner Hall of Fame. E nas páginas deste Cage volta a juntar forças com Corben para um conto negro e realista, que nos transporta para o submundo do universo Marvel. Muitas vezes violento, e sempre fascinante, Cage é uma história de acção urbana no seu melhor.

    O Hip-hop, os filmes de  blaxploitation e os comics são primos. A música, a banda desenhada e a rua cruzam-se nos cartoons das capas de discos pós-fase Igreja do Processo do Julgamento Final dos Funkadelic. Bootsy Collins cita os estúdios Hanna-Barbera como uma das suas principais influências. Quando descreve os primeiros tempos do Rap, no livro That’s Blaxploitation: Roots of the Baadasssss’Tude, o sempre saboroso Fab Five Freddy mostra-nos que o MC muitas vezes se comparava a “todo o género de personagens de banda desenhada e super-heróis”. Como disse, o hip-hop, os filmes de  blaxploitation e os comics estão todos na família. E agora, temos de volta um Cage de barrete, para manter o funk vivo. CAGE traz uma voz urbana autêntica – a voz do herói de blaxploitation, a voz do hip-hop, a voz da classe negra pobre – para a banda desenhada. E, apesar de afirmar que é um mercenário – tal como em todos os bons filmes de blaxploitation e kung fu – Cage é um herói da classe pobre. Um preto à séria, cheio de atitude à Huey Newton, imbuído de Mito Urbano.”

    Do prefácio de Darius James.

     

    10.99€