SE O MUNDO É REDONDO E OUTROS POEMAS

12.00

Nesta inédita reunião, ‘Se o mundo é redondo e
outros poemas’, Scott traz toda a sua
originalidade, com o registo imagético da
realidade circundante e o cruzamento de vozes e
dicções diversas.
A voz única deste poeta, já consagrado pela multiplicidade de premiações que alcançou
desde que iniciou o seu percurso literário em 2001, traz ritmos elípticos, planos de
perceção, espaços urbanos onde a poesia mostra os dramas cotidianos de vidas
ordinárias.
Como bem apreciado pelo prefaciador, o escritor e crítico de poesia António Carlos
Cortez, a arte poética de Scott está em, justamente, registar tudo aquilo que, para
poetas eloquentes, não teria suficiente importância. Trata ele da solidão que reside na
banalidade, esta que não é mostrada nos inventários pessoais de vitórias.
De certa forma, em seus poemas há a evocação, em uma voz única e inteiramente
diversa, do sentimento do ‘Poema em linha reta’ pessoano: a sensação do não-lugar, do
convívio intenso e cruel com o real, matéria que não é sujeita às biografias e, portanto,
inservível àquele mundo redondo e perfeito, de gente que não “leva porrada”, bem
diverso de um outro mundo, “ridículo, absurdo, grotesco, mesquinho, submisso e
arrogante”, que é o da poesia.

REF: 9789898938732 Categoria: Etiqueta: Tema: Literatura
Ver carrinho

Descrição

Nesta inédita reunião, ‘Se o mundo é redondo e
outros poemas’, Scott traz toda a sua
originalidade, com o registo imagético da
realidade circundante e o cruzamento de vozes e
dicções diversas.
A voz única deste poeta, já consagrado pela multiplicidade de premiações que alcançou
desde que iniciou o seu percurso literário em 2001, traz ritmos elípticos, planos de
perceção, espaços urbanos onde a poesia mostra os dramas cotidianos de vidas
ordinárias.
Como bem apreciado pelo prefaciador, o escritor e crítico de poesia António Carlos
Cortez, a arte poética de Scott está em, justamente, registar tudo aquilo que, para
poetas eloquentes, não teria suficiente importância. Trata ele da solidão que reside na
banalidade, esta que não é mostrada nos inventários pessoais de vitórias.
De certa forma, em seus poemas há a evocação, em uma voz única e inteiramente
diversa, do sentimento do ‘Poema em linha reta’ pessoano: a sensação do não-lugar, do
convívio intenso e cruel com o real, matéria que não é sujeita às biografias e, portanto,
inservível àquele mundo redondo e perfeito, de gente que não “leva porrada”, bem
diverso de um outro mundo, “ridículo, absurdo, grotesco, mesquinho, submisso e
arrogante”, que é o da poesia.

Informação adicional

Dimensões (C x L x A)120 × 180 × 5 mm
Autor

Tema

Características

Autor: Europress
ISBN: 978-972-559-331-8
N.º de páginas: 108 páginas
Acabamento: Capa mole com badanas
Edição / Reimpressão: JAN2013