• O JOGO DAS ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS

    0 de 5

    Um jovem portuguesa chamada Sofia foi contratada para desenvolver um jogo de tabuleiro sobre a mitigação às alterações climáticas e a adaptação às suas consequências. Com o intuito de recolher material e ideias, ela parte à descoberta com o seu irmão mais novo Gabriel – que é um pouco mais alto que ela – numa viagem pela Europa. É assim que conhecem alguns dos efeitos atuais das alterações climáticas: secas, incêndios florestais e inundações.

    13.95€
  • AQUI JÁ HOUVE ALGO…

    0 de 5
    20.00€
  • JIM CURIOSO – VIAGEM ATRAVÉS DA SELVA

    0 de 5
    16.50€
  • MORRO DA FAVELA | 2ª Edição Aumentada

    0 de 5
    17.89€
  • A LOJA

    0 de 5
    8.90€
  • TOUTINEGRA

    0 de 5
    14.99€
  • FOLIA DE REIS

    0 de 5
    13.99€
  • GRANDE

    0 de 5
    9.90€
  • EDIBAR – VOL.2

    0 de 5
    12.90€
  • EDIBAR – VOL.1

    0 de 5


    12.90€
  • Kardec

    0 de 5

    Sim, o Shatner do título é o actor cromo de Star Trek, se bem que na perspectiva de “Where’s Captain Kirk?”, canção da banda punk Spizz Energi. William Shatner é referido no livro, mas não está nele. Na verdade, nem o autor sabe onde está. Do dito Shatner só interessa para o enredo que, num episódio desse clássico televisivo de ficção científica, era ele o fagotista de um grupo de música de câmara.

    Yep: logo à partida, as referências musicais deste novo caudal de frases de Rui Eduardo Paes (carinhosamente mais conhecido por REP) – porque é de um livro sobre música que se trata – estão no rock and roll e na clássica, ainda que para falar de jazz, de improvisação e dessa música que se diz ser “experimental”. Também se passa pelo hip-hop queer e pelo nintendocore, por exemplo, mas afinal nenhuma forma de arte é uma ilha e tudo está, de alguma maneira, interligado. Até quando o que encontramos são as des-associações reais ou quimicamente induzidas que constituem a realidade. Os contos desta, nas páginas que aqui estão dentro, são os do sexo, da loucura e da morte.

    A música não comunica nada, segundo Gilles Deleuze? Mentira: comunica-nos o desejo, esse grande motor do nosso quotidiano, a esquizofrenia que nos define como humanos e a atribulada relação que temos com a Grande Ceifeira. Para ler em ritmo de corrida, porque foi escrito em ritmo de corrida.

    11.90€
  • Entre cegos e Invisíveis

    0 de 5

    Sim, o Shatner do título é o actor cromo de Star Trek, se bem que na perspectiva de “Where’s Captain Kirk?”, canção da banda punk Spizz Energi. William Shatner é referido no livro, mas não está nele. Na verdade, nem o autor sabe onde está. Do dito Shatner só interessa para o enredo que, num episódio desse clássico televisivo de ficção científica, era ele o fagotista de um grupo de música de câmara.

    Yep: logo à partida, as referências musicais deste novo caudal de frases de Rui Eduardo Paes (carinhosamente mais conhecido por REP) – porque é de um livro sobre música que se trata – estão no rock and roll e na clássica, ainda que para falar de jazz, de improvisação e dessa música que se diz ser “experimental”. Também se passa pelo hip-hop queer e pelo nintendocore, por exemplo, mas afinal nenhuma forma de arte é uma ilha e tudo está, de alguma maneira, interligado. Até quando o que encontramos são as des-associações reais ou quimicamente induzidas que constituem a realidade. Os contos desta, nas páginas que aqui estão dentro, são os do sexo, da loucura e da morte.

    A música não comunica nada, segundo Gilles Deleuze? Mentira: comunica-nos o desejo, esse grande motor do nosso quotidiano, a esquizofrenia que nos define como humanos e a atribulada relação que temos com a Grande Ceifeira. Para ler em ritmo de corrida, porque foi escrito em ritmo de corrida.

    11.90€
  • Cadafalso

    0 de 5

    Sim, o Shatner do título é o actor cromo de Star Trek, se bem que na perspectiva de “Where’s Captain Kirk?”, canção da banda punk Spizz Energi. William Shatner é referido no livro, mas não está nele. Na verdade, nem o autor sabe onde está. Do dito Shatner só interessa para o enredo que, num episódio desse clássico televisivo de ficção científica, era ele o fagotista de um grupo de música de câmara.

    Yep: logo à partida, as referências musicais deste novo caudal de frases de Rui Eduardo Paes (carinhosamente mais conhecido por REP) – porque é de um livro sobre música que se trata – estão no rock and roll e na clássica, ainda que para falar de jazz, de improvisação e dessa música que se diz ser “experimental”. Também se passa pelo hip-hop queer e pelo nintendocore, por exemplo, mas afinal nenhuma forma de arte é uma ilha e tudo está, de alguma maneira, interligado. Até quando o que encontramos são as des-associações reais ou quimicamente induzidas que constituem a realidade. Os contos desta, nas páginas que aqui estão dentro, são os do sexo, da loucura e da morte.

    A música não comunica nada, segundo Gilles Deleuze? Mentira: comunica-nos o desejo, esse grande motor do nosso quotidiano, a esquizofrenia que nos define como humanos e a atribulada relação que temos com a Grande Ceifeira. Para ler em ritmo de corrida, porque foi escrito em ritmo de corrida.

    11.90€
  • OS PREDADORES DO DESERTO

    0 de 5

    Não é propriamente uma mensagem de amor e paz, aquela que é transmitida pelos homens às ordens do Pregador. Disfarçados de soldados, cometem assaltos sangrentos, sem mostrar qualquer indício de piedade pelos infelizes que se cruzam no seu caminho. Mas tais actos não se irão prolongar por muito tempo, pois o comandante do Fort Defiance encarregou Tex e Carson de partirem na peugada do bando. O início do fim, para o grupo do Pregador, chegou com o inesperado sequestro do filho de Tex!

    16.99€
  • TEX – TERROR NA FLORESTA

    0 de 5

    No “WoodlandFlyer”, o comboio que atravessa o Colorado, Kit Willer é preso e forçado a trabalhar na floresta, juntamente com um honesto, mas azarado, jogador. Conseguirá o filho de Tex desenvencilhar-se por entre os perigos da natureza e as armadilhas dos seus carcereiros?

    7.99€
  • PORTAIS

    0 de 5

    NUM FUTURO LONGÍNQUO, DOIS IRMÃOS GÉMEOS LUTAM PELO TRONO DEIXADO VAGO PELO PAI. A GUERRA ACONTECE E VÁRIAS TRIBOS SÃO NELA ENVOLVIDAS, ALÉM DE CINCO PESSOAS TELEPORTADAS DE TEMPOS E DIMENSÕES DIFERENTES. O QUE TÊM ELAS EM COMUM?

    12.99€
  • TEX – MARIA PILAR

    0 de 5

    Maria Pilar, uma jovem e corajosa mulher, desafia a ameaça de um grupo de atacantes que lhe assassinou o pai, guiando uma caravana de comerciantes hispânicos através da pista que liga Indianola a San Antonio. Em seu auxílio surge um intrépido ranger de braço ao peito: Kit Carson!

    7.99€
  • MARIA E SALAZAR

    0 de 5

    Com a venda da casa familiar de Champigny-sur-Marne, pelos pais de Robin Walter, chegou omomento da despedida de Maria, a sua empregada durante mais de trinta anos. Que irá agora Maria fazer, ela que foi de Portugal para França com o seu marido há algumas décadas, como milhares de compatriotas, fugindo assim ao regime de Salazar? Através das suas memórias, o narrador desta obra descreve de forma aturada e precisa como foi a mais longa ditadura da história moderna da Europa ocidental e a imigração portuguesa, em massa, que daí resultou.

    11.90€
  • CONVERSAS COM OS PUTOS – 2ªEDIÇÃO

    0 de 5

    O que é um explicador?
    É alguém que tenta meter na cabeça dos alunos aquilo que não apreenderam na escola.

    O que é um aluno?
    É alguém que passa várias horas por dia em frente de um professor, à espera do toque de saída.

    O que é um professor?
    É alguém encarregue de manter turmas de quase trinta alunos numa sala e que ainda tem de tentar dar-lhes aulas, até ao dia em que mete baixa psiquiátrica sendo, semanas depois, substituído por alguém que até há pouco tempo ainda era aluno.

    O que é este livro?
    É uma compilação de supostos diálogos entre um explicador de Geometria Descritiva e os seus alunos.

    O propósito desta obra não é o de insultar os alunos (por muito que apeteça ao autor). Não. É o de olhar para uma geração heterogénea de miúdos que dentro de poucos anos estarão a trabalhar, nas filas do Instituto do Emprego e Formação Profissional, a votar, a ditar o que as TVs transmitem e que (esta parte é importante) nos irão pagar a reforma.

    7.90€
  • LUZES DE NITERÓI

    0 de 5

    Inspirando-se livremente em acontecimentos reais da vida de seu pai, Hélcio Carneiro Quintanilha, Marcello Quintanilha presta reverência às histórias de aventuras, criando uma ode ao mito do jogador brasileiro de futebol oriundo das fábricas, aos anos dourados de um país que se destacava internacionalmente impulsionado pelo crescimento económico do pós-guerra mas, sobretudo, à amizade.

    Do mesmo autor, na Polvo: “Tungsténio”, “Talco de vidro”, “Hinário Nacional”, “Fealdade de Fabiano Gorila”, “O ateneu”.

    21.00€