Ver Carrinho “OSHIMARO” foi adicionado ao seu carrinho.
  • Sintra – 2ª Edição

    0 de 5

    Sim, o Shatner do título é o actor cromo de Star Trek, se bem que na perspectiva de “Where’s Captain Kirk?”, canção da banda punk Spizz Energi. William Shatner é referido no livro, mas não está nele. Na verdade, nem o autor sabe onde está. Do dito Shatner só interessa para o enredo que, num episódio desse clássico televisivo de ficção científica, era ele o fagotista de um grupo de música de câmara.

    Yep: logo à partida, as referências musicais deste novo caudal de frases de Rui Eduardo Paes (carinhosamente mais conhecido por REP) – porque é de um livro sobre música que se trata – estão no rock and roll e na clássica, ainda que para falar de jazz, de improvisação e dessa música que se diz ser “experimental”. Também se passa pelo hip-hop queer e pelo nintendocore, por exemplo, mas afinal nenhuma forma de arte é uma ilha e tudo está, de alguma maneira, interligado. Até quando o que encontramos são as des-associações reais ou quimicamente induzidas que constituem a realidade. Os contos desta, nas páginas que aqui estão dentro, são os do sexo, da loucura e da morte.

    A música não comunica nada, segundo Gilles Deleuze? Mentira: comunica-nos o desejo, esse grande motor do nosso quotidiano, a esquizofrenia que nos define como humanos e a atribulada relação que temos com a Grande Ceifeira. Para ler em ritmo de corrida, porque foi escrito em ritmo de corrida.

    13.00€
  • A viagem da virgem

    0 de 5

    Sim, o Shatner do título é o actor cromo de Star Trek, se bem que na perspectiva de “Where’s Captain Kirk?”, canção da banda punk Spizz Energi. William Shatner é referido no livro, mas não está nele. Na verdade, nem o autor sabe onde está. Do dito Shatner só interessa para o enredo que, num episódio desse clássico televisivo de ficção científica, era ele o fagotista de um grupo de música de câmara.

    Yep: logo à partida, as referências musicais deste novo caudal de frases de Rui Eduardo Paes (carinhosamente mais conhecido por REP) – porque é de um livro sobre música que se trata – estão no rock and roll e na clássica, ainda que para falar de jazz, de improvisação e dessa música que se diz ser “experimental”. Também se passa pelo hip-hop queer e pelo nintendocore, por exemplo, mas afinal nenhuma forma de arte é uma ilha e tudo está, de alguma maneira, interligado. Até quando o que encontramos são as des-associações reais ou quimicamente induzidas que constituem a realidade. Os contos desta, nas páginas que aqui estão dentro, são os do sexo, da loucura e da morte.

    A música não comunica nada, segundo Gilles Deleuze? Mentira: comunica-nos o desejo, esse grande motor do nosso quotidiano, a esquizofrenia que nos define como humanos e a atribulada relação que temos com a Grande Ceifeira. Para ler em ritmo de corrida, porque foi escrito em ritmo de corrida.

    12.90€
  • Tangerina

    0 de 5

    Sim, o Shatner do título é o actor cromo de Star Trek, se bem que na perspectiva de “Where’s Captain Kirk?”, canção da banda punk Spizz Energi. William Shatner é referido no livro, mas não está nele. Na verdade, nem o autor sabe onde está. Do dito Shatner só interessa para o enredo que, num episódio desse clássico televisivo de ficção científica, era ele o fagotista de um grupo de música de câmara.

    Yep: logo à partida, as referências musicais deste novo caudal de frases de Rui Eduardo Paes (carinhosamente mais conhecido por REP) – porque é de um livro sobre música que se trata – estão no rock and roll e na clássica, ainda que para falar de jazz, de improvisação e dessa música que se diz ser “experimental”. Também se passa pelo hip-hop queer e pelo nintendocore, por exemplo, mas afinal nenhuma forma de arte é uma ilha e tudo está, de alguma maneira, interligado. Até quando o que encontramos são as des-associações reais ou quimicamente induzidas que constituem a realidade. Os contos desta, nas páginas que aqui estão dentro, são os do sexo, da loucura e da morte.

    A música não comunica nada, segundo Gilles Deleuze? Mentira: comunica-nos o desejo, esse grande motor do nosso quotidiano, a esquizofrenia que nos define como humanos e a atribulada relação que temos com a Grande Ceifeira. Para ler em ritmo de corrida, porque foi escrito em ritmo de corrida.

    11.50€
  • QUINTO IMPÉRIO

    0 de 5

    Estamos no ano 2059 e o mundo é um lugar diferente do que conhecemos. No extremo ocidental do continente europeu encontramos o Estado Lusitano, um país renascido há duas décadas, no caminho de se afirmar como centro de uma nova ordem mundial. Na sua bandeira vemos um escudo sobre uma espada. Uma era distópica e violenta, à mercê dos fantasmas do passado. Esta é uma história sobre a sombra do triunfo.

    11.90€
  • THE SPACE BETWEEN

    0 de 5

    Fomos testemunhas da ascensão e morte do Chambers.
    Da pena de Miguel Ángel Martín revisitamos as suas primeiras aventuras, descobrindo alguns capítulos por nós desconhecidos até hoje.
    Também presenciámos como a vida de Chris se desenvolveu na Terra até decidir adormecer.
    Os Chambers, família cujo o único vínculo comum parecia ser o seu sangue frio com que enfrentavam as situações limite, já não estão entre nós. Só nos ficou este livro magistral para os recordar.
    Parece-vos pouco?

    12.50€
  • BANDA DESENHADA

    0 de 5

    Os artistas de Banda Desenhada são confrontados diariamente com a tarefa de transmitir uma mensagem e comunicar ao leitor toda a acção, diálogo, tensão e emoções da história, apelando, entre outros elementos deste meio artístico, ao grafismo. Este, apesar de ser intrínseco a cada artista, está sujeito a incoerências gráficas que se manifestam, quer naturalmente, quando um artista evolui na sua arte, quer intencionalmente, se um dado momento da história assim o necessitar. Neste ensaio, originalmente escrito no âmbito de uma dissertação de mestrado, iremos analisar a problemática da incoerência estilística, através de alguns artistas que a manifestaram ao longo da sua obra; e iremos acompanhar o Making Of do álbum “No Caderno da Tangerina” que, por apresentar incoerências de ambos os tipos, deu origem a este trabalho.

    10.00€
  • ASCENSÃO

    0 de 5

    E se te dessem a oportunidade de te tornares um deus, aceitavas o desafio? Mesmo sabendo que se falhasses o mais certo era morreres? “Ascensão” é a segunda parte da aventura iniciada em Terra 2.7 por quatro heróis improváveis e que dá respostas às questões então levantadas. A acção decorre nas míticas cidades de Tenochtitlán e Atlantis no continente Oríon.

    12.00€
  • O RECOMEÇO E OUTRAS HISTÓRIAS

    0 de 5

    Esta edição de cariz antológico reúne uma extensa produção artística, compreendida entre 1987 e 2018, composta por 30 histórias curtas de Banda Desenhada de vários géneros, recupera trabalhos publicados em jornais e fanzines realçando a enorme capacidade de trabalho do autor.

    12.00€
  • HUMANUS

    0 de 5

    Esta é uma obra comemorativa dos cinco anos da Escorpião Azul como chancela de banda desenhada que publica maioritariamente autores lusos. Nele estão incluídos 37 autores entre desenhadores e argumentistas, desconhecidos e conhecidos que contribuíram com as suas 33 histórias dos mais variados estilos, para dar à luz do dia esta colectânea que homenageia a banda desenhada no seu todo e que quer dar uma visão mais abrangente daquilo que hoje se faz em Portugal.

    21.00€
  • PEPEDELREY

    0 de 5

    PEPEDELREY, é uma antologia gráfica que reúne produção artística composta por bandas desenhadas, ilustrações, cartoons, relatos e apontamentos. Arrumados em caixas e gavetas ou simplesmente esquecidos em blocos e cadernos. Esta edição recupera trabalhos publicados em fanzines e acrescenta os inéditos, sem uma imposição narrativa. Existe uma coerência espontânea e a orientação editorial foi cedendo às deliberações cinéticas do artista

    18.00€
  • STARLEGACY

    0 de 5

    A Liga Galáctica encontra-se na iminência de uma guerra civil.
    As oprimidas colónias exteriores revoltaram-se contra as políticas impostas e ameaçam atacar os mundos lealistas e tomar o controlo do Corredor de Astraios, o portal híper-espacial que leva ao coração da Liga e à Terra.
    Numa tentativa de recuperar o controlo, a frota envia reforços para as suas tropas assediadas. O capitão Taran McKenna, líder do recém-formado grupo de operações especiais Stormraven, tem o seu baptismo de fogo no planeta fronteiriço Angara, mas a missão assume um cariz mais sério com a presença de uma nova ameaça inesperada.

    12.50€
  • ERMAL – TERRA E SANGUE

    0 de 5
    13.00€
  • NEURO HABITAT

    0 de 5
    12.00€
  • O JARDIM DOS ESPECTROS

    0 de 5
    11.00€
  • TERRA 2.7

    0 de 5
    12.00€
  • APONTAMENTOS DE TERROR

    0 de 5
    11.00€
  • THE WORST OF ÁLVARO

    0 de 5
    11.00€
  • FUTURO PROIBIDO

    0 de 5
    11.00€
  • SINTRA

    0 de 5
    13.00€
  • A ÚLTIMA NOTA

    0 de 5
    11.00€