• AmaisAbsurdadasRelegioes

    A MAIS ABSURDA DAS RELIGIÕES

    0 de 5
    13.90€
  • Ruim

    RUIM

    0 de 5
    15.00€
  • OSegredodosBraganca

    O SEGREDO DOS BRAGANÇA

    0 de 5
    13.90€
  • FilhosDaPrimaveraArabe

    FILHOS DA PRIMAVERA ÁRABE

    0 de 5
    13.00€
  • FLOR-BASALTO_500x500

    FLOR DE BASALTO

    0 de 5

    Literatura

    10.00€
  • POLAROIDES-NAUFRAGIOS_500x500

    POLAROIDES DE DISTINTOS NAUFRÁGIOS

    0 de 5

    Literatura

    10.00€
  • IMPRESCINDIVEL-DOUTRINA-CONTRA_500x500

    IMPRESCINDÍVEL DOUTRINA CONTRA

    0 de 5

    Literatura

    10.00€
  • CLARIDOSIDADE_500x500

    CLARIDOSIDADE

    0 de 5

    Literatura

    25.00€
  • ALBERGUE-ESPANHOL_500x500

    O ALBERGUE ESPANHOL

    0 de 5

    Literatura

    15.00€
  • O Pároco de Aldeia, de Alexandre Herculano

    O PÁROCO DE ALDEIA

    0 de 5

    Na galeria dos grandes escritores da literatura portuguesa, Alexandre Herculano (1810–1877) figura entre os maiores, como romancista, historiador, ensaísta, mas também poeta e dramaturgo. Pequeno romance rústico , como lhe chamou Vitorino Nemésio, crónica aldeã , no dizer do próprio autor, O Pároco de Aldeia foi originalmente publicado no jornal literário e instrutivo O Panorama, em 1843-44. Editado agora pela primeira vez em volume autónomo, deliciará os leitores com as desditas de um candidato a santo casamenteiro e os ditos do seu rebanho, narrados com a mestria um prosador que, para lá do sentimentalismo ou da moralidade, sabia como nenhum outro esbater as linhas que separavam o divino do terreno, o erudito do plebeu, para filosofar com graça e gracejar com filosofia.

    11.90€
  • Capa-Luz-de-Luz

    LUZ DE LUZ

    0 de 5

    Foi com a consciência profunda da dor que hoje assombra o mundo que Pedro Strecht escreveu livro. Que atitude tomar presente a constante a constante desorganização de si mesmos a que estão submetidos os homens nas sociedades contemporâneas? Talvez numa necessidade vital: retirar forças para combater o mal, através da felicidade e do prazer de existir. Da luz da luz, nas palavras do autor que, neste pequeno e ambicioso livro, envolve o leitor numa espécie de proferição muda, rítmica, que o atinge no mais fundo dos eu pensar e sentir.

    9.45€
  • Capa-Esticar-o-Infinito-ate-a-Borda-do-Prato

    ESTICAR O INFINITO ATÉ À BORDA DO PRATO

    0 de 5

    ESTICAR O INFINITO ATÉ À BORDA DO PRATO, de Rony Moreira, é um livro estruturalmente convincente e com inebriante cheiro de coisa nova. Este jovem poeta estreia-se com uma inusitada sedução criativa, atravessada no livro por rara inquietude semântica, transposição estilística e plasticidade metafórica. O conjunto dos escritos divide-se em quatro cadernos interiores – “O Dom-Nato da Terra-Chão”, “Mordedura de Azáfama nos Ciscos”, “O Recado Escrito da Avó” e “Retrato de uma Cidade Fisicamente Impossível” -, cada um caracterizado pela compulsão de complementaridade e de genuína irreverência. Uma voz nova a remarcar a poesia cabo-verdiana nesta segunda década do século XXI.

    10.00€
  • Capa-Poeiras-de-Diasa

    POEIRAS DE DIASÂ

    0 de 5

    Poeiras de Diasâ, o livro com que se comemora 40 anos de escrita de João Lopes Filho, não se enquadra num género literário único, antes apresenta uma mescla entre a crónica e o conto, textos em que a memória é a tónica com que se tecem viagens e torna-viagens. João Lopes Filho, o escritor cabo-verdiano com mais livros publicados, apresenta uma narrativa na qual se pode ver traçado um percurso muito comum ao povo marcado pela migração.

    15.00€
  • Capa-O-Escravo-e-Epistola-A...

    O ESCRAVO & EPÍSTOLA

    0 de 5

    O Escravo assinala o nascimento da literatura cabo-verdiana em prosa. A expressividade do título decorre não só do facto de ele identificar a realidade social da época, mas também de nos chamar a atenção e de nos despertar para outra realidade, ainda mais curiosa, onde, no seio da massa escravocrata, se pudesse atender a um escravo enquanto sujeito bem definido, numa época em que um escravo era só um objeto. Epístola a… trata-se de um poema que engenhosamente mistura elementos líricos e épicos. As ilhas de Cabo Verde aparecem como lembrança invocada por “de café pequena taça” que traz recordações de “uns doze’ anos de bem custosa vida” e “d’esse povo meigo e dócil”.

    15.00€
  • Capa-Memorias-e-Futuro-4

    MEMÓRIA E FUTURO 4

    0 de 5

    Memórias e futuro, é a revista da Associação de Professores do Concelho de Almada e pretende ser o testemunho vivo e relevante da atividade desenvolvida ao serviço da cultura e da educação. Reúne: textos de investigação, de reflexão e testemunhos de práticas nas áreas da educação e do associativismo; textos criativos, em prosa ou em verso, dando relevo à criatividade de associados e de estudantes da Universidade Sénior de Almada – USALMA, projeto mais relevante da Associação; textos de divulgação das diversas atividades e projetos desenvolvidos em prol da comunidade.

    Folhear a revista Memórias e futuro é mergulhar nas memórias que regista e nas quais poderemos, aqui e ali, rever-nos.

    10.00€
  • Capa-O-Cheiro-da-Anoneira

    O CHEIRO DA ANONEIRA

    0 de 5

    Quando o mundo que Rafaela havia construído para si e para a filha se desfaz como um castelo de areia, ela não se deixa abater pela derrota e pelo desespero.

    O destino, consultado numa mesa de tarot, diz-lhe que o futuro fica no lugar da infância. Ela abre, então, a porta desse mundo esquecido. Como quem folheia um álbum de fotografias, recorda a velha quinta onde nasceu, a aldeia de casinhas brancas, os barcos coloridos varados no cais.

    Os homens a jogar à bisca debaixo de palmeiras queimadas pelo sol. As mulheres a bordar à sombra da montanha a pique. E aquele mar azul fundo, que em noites de tempestade se atira à vila em ondas brancas de raiva e espuma.

    Perdida, procura no passado a rota que uma carta de tarot lhe aponta como uma seta numa cruz de caminho.

    O cheiro da anoneira é um romance pungente e também humorístico, salpicado aqui e ali de cenas hilariantes, protagonizadas por alguns habitantes da aldeia.

    Rafaela vive na fronteira entre o mundo que conhecemos e um mundo que pressentimos e que, de alguma forma, receamos.

    Espiritismo, vidência e contactos com o paranormal são uma constante nesta obra, que não pretende revelar nada de novo. Apenas tocar uma realidade que, quer queiramos quer não, irá marcar decisivamente este novo milénio.

    12.50€
  • Capa do livro No Bosque da Vida, de Pedro Strecht. Manufactura Editora

    NO BOSQUE DA VIDA

    0 de 5

    NO BOSQUE DA VIDA “«A Professora pediu que escrevêssemos um texto durante as férias. Não tenho nenhuma ideia brilhante que possa inventar.»
    Assim começa o novo livro de Pedro Strecht para um público infanto-juvenil.
    Com a aventura narrativa de uma criança, que através do olhar do seu quotidiano e na companhia da cadela Tita, procura realizar um ensinamento do seu Avô:
    «Sê sempre tu próprio. E, se puderes faz também os outros felizes! Não deixes desertos teus olhos… »
    Pedro Strecht (1966) é médico de Pedopsiquiatria. Casado, tem 3 filhos (e uma cadela de nome Tita).”

    6.50€
  • Capa do livro A Tragédia da Rua das Flores, de Eça de Queirós. Manufactura Editora

    A TRAGÉDIA DA RUA DAS FLORES

    0 de 5

    Quantos tesouros oculta o espólio de um grande escritor? No caso de Eça de Queirós (1845-1900), muitos. Prolífico a escrever, frugal a publicar, só postumamente foi conhecida uma parte significativa da sua produção literária. A Tragédia da Rua das Flores, que agora se reedita segundo as normas da nova ortografia, permaneceu inédita durante um século. Escrita entre 1877 e 1878 e apenas editada em 1980, esta história de incesto antecede o mais célebre romance do autor, Os Maias (1888), de que pode ser considerada um primeiro ensaio. No entanto, o enredo em torno da paixão fatal de Vítor e Genoveva, que já foi alvo de uma adaptação televisiva, não é tratado por Eça com o romantismo açucarado que tornou a narrativa dos amores de Carlos da Maia e Maria Eduarda admissível para consumo dos leitores da época. A Tragédia da Rua das Flores é um romance realista, assumidamente cru e sensorial, que revela um Eça em pleno domínio da sua técnica, sem pejo em afrontar, com arrojo e notório divertimento, os tabus da sociedade portuguesa de finais do século XIX.

    14.95€
  • Capa do livro Zen Limites, de Filinto Elísio. Rosa de Porcelana Editora

    ZEN LIMITES

    0 de 5

    ZEN LIMITES é mais o recente livro do escritor cabo-verdiano Filinto Elísio. É composto por 91 textos entre poemas e notas poéticas, em que o autor, em clara bibliofilia, deixa-nos conhecer o seu universo caleidoscópico de escritores de sua eleição. Este livro é um profuso diálogo com outros escritores e uma sistemática de intertextos com diversas obras. De Manoel de Barros e Baudelaire a Derek Walcott, de Miguel Torga e Jorge Barbosa a William Shakespeare, a poética de Filinto Elísio revisita a literatura universal.

    15.00€
  • Capa do livro Caminhada - Um Alemão em Portugal, de Eberhard Fedtke. Oxalá Editora

    CAMINHADA – UM ALEMÃO EM PORTUGAL

    0 de 5

    Com um envolvente estilo narrativo, este autor alemão com uma ligação a Portugal de mais de 40 anos por via de laços familiares, retrata de forma admirável aquela que é hoje a sua segunda terra.

    Este livro é uma viagem às especificidades geográficas, culturais e sociais de Portugal, no qual o autor desvenda com um olhar atento e com sensibilidade literária algumas das características dos comportamentos dos habitantes do seu país adoptivo. Eberhard Fedtke estudou Direito, Administração de Empresas e Filologia. É doutorado em Direito e Economia e Ciências Sociais e mestre em Direito Empresarial. Desenvolve actividade profissional na área de Direito e Economia, especialmente no domínio do Trabalho. A escrita foi sempre uma das suas áreas de interesse, tendo cerca de 120 publicações de carácter jornalístico ou ficções em revistas. Tem vinte livros publicados na área de Direito e Economia, cinco deles em co-autoria. Casou em 1972 com uma portuguesa, e tem quatro filhos luso-alemães e nove netos.

    Desde 2014 tem residência permanente em Portugal, na Encosta da Caniçada.

    12.90€