• A Cultura na Primeira Página

    A CULTURA NA PRIMEIRA PÁGINA

    0 de 5

    Talvez um dia os jornais se façam sem jornalistas. E sem notícias. Pelo menos, sem notícias sobre temas culturais. Os resultados do projeto de investigação “Cultura na Primeira Página” mostram uma diminuição da visibilidade da cultura nos media. A representação jornalística da cultura coloca-a em locais que não costumava frequentar: em paisagens de lazer e entretenimento. Dentro de um paradigma em que tudo é cultural, os media tornaram-se alegres companheiros desta viagem pelas esquinas da diversão e da “boa vida”. Neste livro, vários autores refletem sobre as transformações do jornalismo cultural, as razões que alteraram tão profundamente uma relação antiga entre jornalismo e cultura e os impactos para a cidadania de uma diminuição da crítica e da reflexão sobre o campo cultural.

    12.90€
  • Illustrated Lisbon, Cascais e Sintra, de Joana Viegas

    ILLUSTRATED LISBON, CASCAIS, SINTRA

    0 de 5

    “Da sensibilidade e do traço únicos da ilustradora Joana Viegas, chega-nos este bonito conjunto de ilustrações da cidade de Lisboa e das magníficas vilas vizinhas de Sintra (Património Mundial da UNESCO) e Cascais: morada de aristocratas, famílias da realeza, de espiões, refugiados, aventureiros, e redutos inspiradores de escritores, poetas e artistas ao longo dos tempos.

    Dos monumentos históricos aos bairros típicos, da arquitectura pública ao casario antigo e às ruelas estreitas, passando pelas bonitas praças, o rio Tejo, as praias, os palacetes, palácios e as casas senhoriais, este livro oferece um registo magnífico, repleto de vida, força e cor, que constitui uma recordação muito particular desta fascinante zona de Portugal e do extremo atlântico da Europa continental”

    English

    “From illustrator Joana Viegas’s unique sensibility and style comes this delightful collection of artwork featuring the city of Lisbon and the charming nearby towns of Sintra (a UNESCO World Heritage Site) and Cascais — places long home to aristocrats, royal families, spies, refugees, and adventurers, as well as inspirational havens for writers, poets, and artists through the ages.

    From historic landmarks to classic neighborhoods, from public architecture to quaint façades and narrow alleys, along with charming squares, the Tagus River, beaches, villas, palaces, and manors, this book offers wonderful depictions filled with life, energy, and color, creating a distinctive memento of this fascinating region of Portugal at the far Atlantic end of continental Europe.”

    9.90€
  • A ARCA DE NÃO É

    0 de 5
    11.50€
  • Capa do livro Melancómico - O Caderno. Escritório Editora

    MELANCÓMICO – O CADERNO

    0 de 5
    5.13€
  • A ARCA DE NÃO É (4ª EDIÇÃO)

    0 de 5
    8.95€
  • A ARCA DE NÃO É (3ª EDIÇÃO)

    0 de 5
    8.95€
  • POETAS DE HOJE E DE ONTEM – 6ª EDIÇÃO

    0 de 5
    14.99€
  • algarve-como-destruimos

    O ALGARVE TAL COMO O DESTRUÍMOS

    0 de 5
    14.95€
  • Capa do livro Jorge Daniel, Diário de uma Lenda. Prefácio de João Manzarra. Escritório Editora

    JORGE DANIEL 2ª EDIÇÃO

    0 de 5
    16.01€
  • Capa do livro A Mochila Mágica & Outras Estórias, de Nuno, Luís & Rodrigo Costa Santos. Escritório Editora

    A MOCHILA MÁGICA & OUTRAS HISTÓRIAS

    0 de 5
    9.95€
  • Capa do livro Uma História de Portugal em Verso e em Prosa, de Maria de Lourdes Varanda e Maria Manuela Santos. Escritório Editora

    UMA HISTÓRIA DE PORTUGAL EM VERSO E EM PROSA

    0 de 5
    Os países, como os seres vivos, também nascem, crescem e morrem. Alguns, que tiveram uma vida gloriosa, já desapareceram há muito, como o Império Romano ou o Império Inca. Outros são ainda muito jovens – Portugal existe há quase novecentos anos mas os Estados Unidos, por exemplo, nasceram há pouco mais de duzentos.
    Ora a História ajuda-nos a conhecer o passado do país em que nascemos e onde vivemos. Este livro, escrito por quem ensinou a História de Portugal a muitas gerações, destina-se aos leitores mais jovens e aos mais velhos – aos primeiros, para os ajudar a conhecer melhor o seu país; aos segundos, para lhes relembrar a História que aprenderam quando eram pequenos. Com palavras e com belas imagens.
    Entre essas imagens incluem-se aguarelas históricas dos pintores Roque Gameiro e Alberto de Sousa que alguns leitores vão certamente reconhecer e que os vão transportar à sua infância: o cerco de Lisboa por D. Afonso Henriques e pelos Cruzados, a partida de Vasco da Gama da praia do Restelo e muitas outras.

     

    13.95€
  • Capa do livro MOTELX - Histórias de terror. Escritório Editora

    MOTEL X – HISTÓRIAS DE TERROR

    0 de 5

    Em conjunto com o MOTELx  – Festival Internacional de Cinema de Terror de Lisboa ( 9ª edição), a Escritório editora lança uma colectânea de Contos de Terror inéditos, escritos e ilustrados por alguns dos mais conceituados autores portugueses da nova geração.

    Os ecritores são Afonso Cruz, Inês Fonseca Santos, Filipe Homem Fonseca, Adolfo Luxúria Canibal (vocalista dos históricos Mão Morta)  Patrícia Portela, Victória F. e Jeziel Bueno ( os dois ultimos, autores revelação, eleitos no Concurso Contos de Terror MOTELx, que precedeu o livro e cujo júri foi composto por António Torrado (SPA), António Monteiro ( Sustos às Sextas) e Rogério Ribeiro ( Fórum Fantástico ).

    Os ilustradores são João fazenda, Tiago Albuquerque, Esgar Acelerado, Manuel João Vieira, Mariana a Miserável, Alex Gozblau e Mulher-Bala.

    Todos os anos, em Setembro, ficam hospedadas no MOTELx muitas histórias de Terror. Desta vez,  em parceria com a Escritório editora, decidimos criar uma residência permanente. Uma morada, sempre visitável, para um conjunto de novas histórias, escritas e ilustradas por autores portugueses que admiramos e à porta de quem fomos bater.
    Conteúdo de terror inédito, complementado por um concurso em que um Júri MOTELx elegeu dois contos, também eles originais, de dois ilustres desconhecidos. Sete histórias de Terror com abordagens literárias ao género muito distintas e criativas, que não poderão, de forma alguma, deixá-lo indiferente. Para ler a meia-luz, ou até menos.

    14.95€
  • Capa do livro A Cor e o Som, de José Manuel Arrobas. Escritório Editora

    A COR DO SOM

    0 de 5

    “Margarida busca o som absoluto e Vicente a cor perfeita . Nunca se teriam procurado, se  não se tivessem já encontrado. No sonho.

    Como o amor entre duas pessoas se pode encontrar no cruzamento de dois olhares, carregados de cor e de som, e de como cada um sonha esse encontro . Uma história feita de memórias e de lembranças, fantasia e realidade,  que nos leva a uma profunda introspecção e análise dos comportamentos humanos.

    O confronto de duas almas inquietas, sempre à procura da beleza que espreita por todo o lado, mas insiste em ficar escondida por trás do cenário maior que é a Vida.

    Um livro profundamente marcante, do mesmo autor de A Decadência do Sonho, Eles, Elas e o Amor  e A Impossível Solidão.”

    14.95€
  • Capa do livro Quo Vadis Salazar? Escritos do Exílio, de Tiago Salazar. Escritório Editora

    QUO VADIS SALAZAR?

    0 de 5

    “QUO VADIS, SALAZAR? – Escritos do Exílio” é uma compilação de textos produzidos numa Amesterdão palco de um exílio forçado vivido pelo autor, como forma de protesto contra a situação política e fiscal do seu país.

    Crónicas, contos, micro-ficções, pensamentos, gente, um país vivido intensamente à distância, outro que é o de acolhimento, revisitações de autores para quem a Holanda foi tema de reflexões literárias, filosóficas e políticas, como Ramalho Ortigão ou J.Rentes de Carvalho, são o pano de fundo de um livro de cariz marcadamente pessoal, mas profundamente mundividente. O prefácio é de Onésimo Teotónio Almeida.”

    14.95€
  • Capa do livro Em Todas as Ruas, de João Seixas. Escritório Editora

    EM TODAS AS RUAS

    0 de 5

    Um livro que pensa a cidade. Reunindo múltiplas crónicas, ensaios e outros textos sobre a vida urbana contemporânea. Colocando a cidade como a mais complexa, colectiva e ecológica realização humana alguma vez concebida na história. Questionando-a e envolvendo-a de memórias, anseios, dilemas e oportunidades. E de responsabilidades. Tomando-a como veículo central para um novo tipo de cidadania e de progresso. Em todas as ruas.

    15.95€
  • Capa do livro A Vila das Cores, de Bruno Magina e Carolina Figueira, com prefácio de Paulo Côrte-Real. Escritório Editora

    A VILA DAS CORES

    0 de 5

    A Família Violeta veio recordar aos habitantes da vila que, com tantas cores existentes no mundo, não há razões para indiferença ou preconceito. Somos todos diferentes e devemos ser livres de viver como mais gostamos. E é de toda esta diversidade que vem a riqueza…

    10.95€
  • Capa do livro Jorge Daniel, Diário de uma Lenda. Prefácio de João Manzarra. Escritório Editora

    JORGE DANIEL – DIÁRIO DE UMA LENDA

    0 de 5

    Jorge Daniel é o novo fenómeno humorístico do momento em Portugal, que conta já com aproximadamente 100 mil fãs na sua página de Facebook. É de facto um número impressionante, tendo em conta que se trata dos chamados fãs orgânicos, ou seja, com interação real. Começou com uma rubrica semanal no programa televisivo “a Rede” de Nuno Markl…

    14.95€
  • Capa do livro Vou Emigrar para o Meu País, de Nuno Costa Santos. Escritório Editora

    VOU EMIGRAR PARA O MEU PAÍS – 2ª EDIÇÃO

    0 de 5

    “Apetecer” é um verbo demasiado leviano nestes tempos em que tudo tem de ser justificado, cada decisão deve ser fundamentada por uma data de estudos e previsões. Apetece-me uma coisa qualquer e vem logo um especialista com as suas opiniões sustentadas. Veja lá bem, pense duas, três, quatro vezes. Pior do que tudo, por me apetecer entro na categoria dos Tipos a Quem Apetece Esse Tipo de Coisa…

    13.95€
  • Capa do livro O Algarve Tal Como o Destruímos, 2ª edição, de Fernando Silva Grade. Escritório Editora

    O ALGARVE TAL COMO O DESTRUÍMOS – 2ª EDIÇÃO

    0 de 5

    “Em 2006, ainda Faro e o Algarve viviam em função de duas dinâmicas que se prolongavam desde fins dos anos setenta: o turismo de massas e a construção civil. E, fundamentalmente, ninguém punha em causa estas duas vacas sagradas, nomeadamente a população em geral e a totalidade dos autarcas…”

    14.95€
  • Capa do livro Vou Emigrar para o Meu País, de Nuno Costa Santos. Escritório Editora

    VOU EMIGRAR PARA O MEU PAÍS

    0 de 5

    “Apetecer” é um verbo demasiado leviano nestes tempos em que tudo tem de ser justificado, cada decisão deve ser fundamentada por uma data de estudos e previsões. Apetece-me uma coisa qualquer e vem logo um especialista com as suas opiniões sustentadas. Veja lá bem, pense duas, três, quatro vezes. Pior do que tudo, por me apetecer entro na categoria dos Tipos a Quem Apetece Esse Tipo de Coisa…

    13.95€