• SantaCamarao

    SANTA CAMARÃO

    0 de 5
    12.00€
  • LIFE-IS-SIMPLE-MESS_500x500

    LIFE IS A SIMPLE MESS

    0 de 5

    Design e Ilustração

    15.00€
  • DESERTO_NUVEM_500x500

    DESERTO/NUVEM

    0 de 5

    Banda Desenhada

    18.00€
  • Corta-e-Cola/Punk Comix

    CORTA-E-COLA

    0 de 5

    Dois livros em um, ou seja um split-book, bem à punk!

    No ano em que se “celebram” os 40 anos do punk em Portugal, a Chili Com Carne, em parceria com a Thisco, edita o (duplo) livro sobre este fenómeno: Corta-e-Cola : Discos e Histórias do Punk em Portugal (1978-1998) de Afonso Cortez e Punk Comix : Banda Desenhada e Punk em Portugal de Marcos Farrajota.

    Escrito a partir de um levantamento exaustivo de fanzines, discos e demo-tapes, ao longo de 256 páginas, os autores dissecam todo esse material para tentarem perceber como através de uma ética – do-it-yourself – se conseguiu criar uma (falta de) estética caótica e incoerente que hoje se identifica como punk. Através da produção gráfica desse movimento se fixaram inúmeras estórias – até agora por contar – de anarquia e violência; de activismo político, manifestações e boicotes; de pirataria de discos e ocupação de casas; de lutas pelos direitos dos animais; de noites de copos, drogas e concertos…

    Corta-e-Cola / Punk Comix é ilustrado com centenas de imagens, desde reproduções de capas de discos a páginas de fanzines, cartazes, vinhetas e páginas de BD, flyers e outro material raramente visto. E porque punk também é música, o livro vêm acompanhadas por um CD-compilação com 12 bandas de punk, rock ou música experimental actuais como Albert Fish, Dr. Frankenstein, The Dirty Coal Train, Presidente Drogado, Putan Club, Estilhaços Cinemáticos… As bandas ofereceram os temas, todos eles inéditos, sobre BD na forma mais abrangente possível, sobre personagens (Batman, Corto Maltese), séries (O Filme da Minha Vida), autores (Vilhena, Johnny Ryan) ou livros (V de Vingança,Caminhando Com Samuel). Alguns mais óbvios que outros mas tendo como resultado uma rica mistura de sons que vão desde o recital musicado ao Crust mais barulhento.

    15.00€
  • bruma

    BRUMA

    0 de 5

    Bruma compila quase duas dezenas de histórias, a maior parte delas inéditas em Portugal.

    15.00€
  • Capa-Noitadas-Depres-Bubas

    NOITADAS DEPRÊS & BUBAS

    0 de 5

    Bd’s autobiográficas de Marcos Farrajota, publicadas entre 1995 e 1997, nos números (esgotados) 6 ao 12 doMesinha de Cabeceira, antecedentes ao É sempre demais… (Lx Comics #2, Bedeteca de Lisboa; 1998), apresentam o grosso da exploração da autobiografia no seu trabalho. Género esse pouco habitual em Portugal, mesmo depois do “”boom”” e da implosão da bd portuguesa, ao qual o autor acabou por subverter e abandonar gradualmente.
    E como na vida, há de tudo nestas bd’s: sexo juvenil, amores de recorte Primavera/Verão, uso de drogas leves, vida suburbana em Cascais, relações sociais (envolvento desde vários autores de bd a músicos como os Primitive Reason), deambulações urbano-filosóficas de quem andava à toa, rapinanços de conteúdos alheios (Mão Morta, Julie Doucet, Einstürzende Neubauten, Madman) e participações alheias de amigos – como na bd Die Fliege II com textos de Miguel Caldas.

    15.00€
  • Capa-Musclechoo-Trump-Card

    MUSCLECHOO: TRUMP CARD

    0 de 5

    Musclechoo is drawn with the total abandonment of drawings made on the back of scholl notebooks, during class.

    8.00€
  • megg_mogg_mocho

    MEGG, MOGG & MOCHO

    0 de 5

    Esta série trouxe fama a Simon à escala global ao ponto de até ser publicado em Portugal, um selecção de histórias. Há quem diga que é uma mistura de Todd Solondz, Peter Bagge e Os Simpsons. Apesar da predominância humorística da série, ela é compensada várias vezes com estados emocionais do autor, admitindo usá-la como terapia pessoal. O trabalho de Hanselmann explora a toxicodependência, depressão e o ansiedade quotidiana com precisão e subtileza… É tão pueril como trágico, ordinário como carinhoso. E pode ser, como na vida, muito divertido – The Guardian uma profunda inquietante, hilariante visão do ennui milenar- Paste Estas são actualmente as melhores BDS a serem feitas no mundo, eu acredito mesmo nisso. – James Kochalka (Magic Boy)

    12.00€
  • espero_chegar_breve

    ESPERO CHEGAR EM BREVE

    0 de 5

    Desde 2014 que este autor regressou à BD e com toda a força: primeiro com Erzsébet sobre a infame condessa húngara que assassinou centenas de jovens na demanda da eterna juventude, e em 2015 com Nadja – Ninfeta Virgem do Inferno, verdadeiro deboche gráfico entre o Hair Metal de L.A. dos 80 e a distopia do RanXerox. Este ano apresenta um belo trabalho sobre um homem que recupera consciência do seu sono criogénico a bordo de uma nave especial. A Inteligência Artificial não consegue reparar o problema e Kemmings vê-se obrigado a manter-se acordado mas fisicamente paralisado durante dez anos da travessia sideral. Como a maior parte da obra de PKD, este conto questiona o que é ser humano e o que é a realidade.

    10.00€
  • o_meu_nelson_mandela

    O MEU NELSON MANDELA E OUTROS CONTOS

    0 de 5

    Papá em África é o título que o trás ao Festival Internacional de Banda Desenhada da Amadora e que se mostrou controverso mas não impediu de ter sido premiado como Melhor Álbum Estrangeiro nos Prémios Nacionais de BD 2015. O álbum não foi colocado nos escaparates de algumas livrarias tornando impossível a sua reimpressão. Mesmo assim rapidamente esgotou e tornou-se num objecto de culto. As BDs de Kannemeyer suscitam discussão sobre os traumas e a má-consciência do pós-colonialismo. Aproveitando a visita do autor ao 27º FIBDA, lança-se O Meu Nelson Mandela e Outros Contos, uma nova compilação de histórias e desenhos, desta vez mais autobiográficas e ensaísticas, afastadas do imaginário do não menos polémico Tintin no Congo. Apesar de serem trabalhos mais intimistas não significa que sejam menos virulentos…

    10.00€
  • simplesmente_samuel

    SIMPLESMENTE SAMUEL

    0 de 5

    Simplesmente Samuel é uma narrativa visual silenciosa, uma homenagem à vida e à existência humana.
    Samuel é uma figura fantasmagórica que caminha por um mundo colorido praticamente invisível para o que está ao seu redor, como um verdadeiro herói da nossa vida quotidiana e mundana. As vinhetas sem palavras lidam com o individualismo e o conceito de liberdade. O universo rico em cores e formas funciona como uma parte da narrativa ecléctica que continua a surpreender o leitor página a página. Simplesmente Samuel é um romance gráfico peculiar, que induz o leitor a ver e experimentar a arte impressa a um outro nível.

    20.00€
  • caminhando_samuel_2a_edicao

    CAMINHANDO COM SAMUEL – 2ª EDIÇÃO

    0 de 5

    Obra seleccionada para a Bedeteca Ideal e 1001 Comic you should read before you die. um roadbook cosmogónico onde o olhar da descoberta primordial se mantém até ao fim. Mas onde as cosmogonias (entre elas o Génesis) encenam a criação num tempo recuado e definitivamente perdido, Samuel parece assumir uma condição atemporal, um estado de permanência que o faz atravessar eras, estados de alma e espaços com o mesmo deslumbramento e a mesma disponibilidade para o mundo que trazia no início, quando surgiu por entre a vegetação.

    20.00€
  • capa-acedia

    ACEDIA

    0 de 5

    Um homem, Daniel, sofre de distorções na sua percepção visual devido a um corpo estranho alojado algures na cavidade ocular. Apesar da insistência das notificações hospitalares para dar início aos seus tratamentos, ele vê-se confrontado com a hipótese das suas alucinações estarem a proporcionar-lhe uma fuga para uma nova percepção da realidade. Daniel terá que optar entre encarar a sua doença como um sinal evidente da sua mortalidade ou como uma intensificação da vida.

    10.00€
  • Capa do livro Revisão: Bandas Desenhadas dos Anos 70. Editora Chili com Carne

    REVISÃO – BANDAS DESENHADAS DOS ANOS 70

    0 de 5

    2016 marca 40 anos do fim da icónica Visão, uma revista improvável num país com graves problemas económicos mas que se apresentava nas bancas com ar luxuoso, cores ácidas e brilhantes, temáticas políticas e libertárias.
    Quisemos comemorar esta publicação que fez uma ruptura com a BD tradicional portuguesa mas sobretudo recuperar um conjunto de BDs esquecidas dos anos 70 cheias de frescura, rebeldia e prazer criativo, vindas de outras experiências editoriais como Evaristo, O Estripador ou &etc.
    Contem com António Pilar, Bruno Scoriels, Carlos Barradas, Carlos “Zíngaro”, Fernando Relvas, Gracinda, Isabel Lobinho, J.L. Duarte, João Manuel Barroso, Nuno Amorim, Paralta & Zé Baganha, Pedro Massano, Pedro Potier, Tito, Zé Paulo (1937-2008), Zepe e ainda António Pinho, Carlos Soares, Jorge Lima Barreto (1949-2011) e Mário-Henrique Leiria (1923-1980) para muita BD psicadélica, urbana, cósmica, mórbida, erótica, pessimista, ácida, crítica, tão ying & yang tal como foi a década de 70 neste país periférico.

    20.00€
  • Capa do livro Cadernos de Fausto, de Rafael Dionísio. Chili com Carne

    CADERNOS DE FAUSTO

    0 de 5

    Trata-se de um livro que orbita recursivamente em torno dessa personagem tentando defini-la de uma maneira obsessiva. São pequenos textos que funcionam simultaneamente ou como capítulos de uma biografia sem factos ou como capítulos de um romance que não existe. Assim temos que o livro é de um género híbrido, algures entre a ficção e a poesia, num lugar não determinado. Uma das características do livro é ter algum grau de experimentação sintáctica e semântica. É um livro, literariamente, encorpado, denso e profundo.

    15.00€
  • Capa do livro O Fantasma de Creta e Outros Contos, de Rafael Dionísio. Chili com Carne

    O FANTASMA DE CRETA E OUTROS CONTOS

    0 de 5

    O título é auto-explicativo: são quinze contos que espelham as contradições e dificuldades das relações humanas. Psicologias complexas, relações de poder, eventualmente violentas e sexualidades mais ou menos desviantes. Com uma concisão admirável e uma segura mão narrativa, estes contos são um prazer e, por vezes, contém pequenas e grandes surpresas para o leitor.

    13.00€
  • Capa do livro Anarco-Queer? Queercore!, de Rui Eduardo Paes. Chili com Carne

    ANARCO-QUEER? QUEERCORE!

    0 de 5

    O queercore foi-se esvaziando nos últimos anos, apesar da existência de novas bolsas de liberdade, apesar dos sinais de que a hecatombe do capitalismo pode mesmo acontecer e apesar do nomadismo dos sexos. Muito de bom foi produzido no impulso de enfiar os dedos em lugares quentes e húmidos, mas não será pouco? O hardcore queer ainda resiste, mas resiste porque está na defensiva, porque está fraco. É como se tivesse sido geneticamente programado para falhar. Mas quando ouvimos um estridente feedback dos Apostles e dos Nervous Genre tudo, absolutamente tudo, parece possível…

    10.00€
  • Capa do livro "A" Maiúsculo com Círculo à Volta, de Rui Eduardo Paes. Chili com Carne

    “A” MAIÚSCULO COM CÍRCULO À VOLTA

    0 de 5
    10.00€
  • Capa do livro Subsídios - Matéria Mimética Monstruosa Nutrida num Nível Redentor Regressor Reagente (ao) Geométrico. Chili com Carne

    SUBSÍDIOS

    0 de 5
    15.00€
  • Capa do livro VSADH. Chili com Carne

    VSADH

    0 de 5
    18.00€