• O Psicólogo, o Treinador e o Atleta

    O PSICÓLOGO, O TREINADOR E O ATLETA

    0 de 5

    Sendo a função do psicólogo fácil de definir, por exigir formas de atuação muito concretas, já a função do treinador é de uma grande variedade no que se refere aos conhecimentos exigidos, como também à experiência e às vivências que conduziram ao desempenho da função. Se hoje, para exercer no futebol de primeira divisão é necessário ter o quarto grau do Curso de Treinadores, noutros desportos e situações a função é simplesmente desempenhada por ex-praticantes ou amadores. Neste livro, a partir de algumas considerações teóricas sobre psicólogos do desporto e treinadores, assim como da definição das suas características, apresenta-se um conjunto de casos, todos de desporto de alta competição, em que o autor interveio na qualidade de psicólogo.

    8.80€
  • Velvet Vol.3: O Homem que Roubou o MundoPT-Velvet-3

    VELVET VOL. 3: O HOMEM QUE ROUBOU O MUNDO

    0 de 5

    VOLUME FINAL DA SÉRIE

     

    Todas as pistas e todos os destinos que constituem o mistério que rodeia Velvet acabam por a levar de volta aos Estados Unidos e a Washington, para o final explosivo da saga de Velvet Templeton. Por dois dos criadores de comics mais aclamados de hoje, Ed Brubaker e Steve Epting, a dupla responsável também pela série Fatale.“Afinal a história não é sobre a Moneypenny, a secretária do MI6 que se transforma em agente secreto. É uma história que pergunta – E se a secretária de 40 e tal anos afinal sempre tivesse sido um agente secreto?”

     

    “Para quem queira ver uma equipa de criadores de comics em plena forma a fazer o que só eles sabem fazer tão bem, podem parar de procurar.”

    -Newsarama

     

    Reúne os números 11-15 de Velvet

    9.99€
  • Southern Bastards Vol.3: RegressosPT-Southern-Bastards-32

    SOUTHERN BASTARDS VOL. 3: REGRESSOS

    0 de 5

    Chegou a semana do Homecoming, o fim das férias e o maior jogo do ano para a equipa do Condado de Craw, os Runnin’ Rebs. Mas o Coach Euless Boss tem muito mais inimigos do que os que vai enfrentar no campo de jogo. O xerife cujo passado negro o continua a assombrar. O misterioso caçador sempre pronto a fazer a sua justiça rural muito peculiar. O estranho rapaz em coma. A maquiavélica mulher do Mayor. Os cães selvagens.

    E há também Roberta Tubb, do Corpo de Fuzileiros dos Estados Unidos. A filha do homem que Euless Boss matou a sangue-frio. Todos estão a regressar a casa, como que atraídos por uma promessa de violência e vingança. Mas o Coach Boss não tem medo de sangrar. Nem de verter o sangue de outros, se isso for necessário para ganhar o jogo.

    Seis histórias. Seis grandessíssimos cabrões. Uma série “frita à moda do Sul”.

     

    Southern Bastards é a aclamada criação de Jason AARON e do desenhador Jason LATOUR, uma saga que nos mergulha no Sul dos Estados Unidos, na sua cultura violenta e dividida, um thriller de que ninguém sairá incólume. Southern Bastards venceu o Prémio Harvey para Melhor Nova Série em 2015.

     

    “Se existe por aí um comic mais visceral e perturbador que este, não quero saber.” – Newsarama

    Este volume inclui também o ensaio de Jason latour sobre a célebre capa variante Death to the Flag, Long Live the South (Acerca da bandeira rebelde do sul…) e uma extensa galeria de capas alternativas e esboços.

     

    Reúne os números 9-14 de Southern Bastards

    11.99€
  • Outcast Vol.2: Uma Ruína sem Fim, de Robert Kirkman e Paul AzacetaPT-Outcast-2-

    OUTCAST VOL. 2: UMA RUÍNA SEM FIM

    0 de 5

    A nova série do criador de THE WALKING DEAD, que serviu de base à série de TV da FOX

    Toda a vida, Kyle Barnes foi perseguido por influências demoníacas, que lhe assombram a sua vida e a de todos os que alguma vez amou. Quando finalmente consegue fazer a ligação entre uma estranha série de novos casos, e a terrível possessão da sua mãe, que lhe destruiu a infância, sente que está finalmente no caminho de desvendar o segredo dos seus temíveis dons sobrenaturais.

    Infelizmente, aquilo que ele vai descobrir poderá significar o fim do mundo tal como o conhecemos…

     

    Robert Kirkman é um dos mais influentes criadores de comics actual, e um dos cinco partners da Image – o único que não é um dos fundadores. Kirkman é mundialmente famoso pela série The Walking Dead, que foi adaptada à TV pela Fox e se transformou num dos maiores êxitos mundiais. Depois de ter lançado The Walking Dead e Invincible, duas séries que lhe granjearam grande sucesso no início dos anos 2000, trabalhou em inúmeros outros comics, incluindo séries para a Marvel, entre as quais podemos destacar Marvel Zombies ou Ultimate X-Men. Mas em 2008, foi aceite como partner da Image, e desde então, tem-se dedicado à editora, e ao trabalho de produção televisiva das suas séries. É considerado como um dos grandes responsáveis daquilo que foi chamado a “Revolução Image”, o incrível período de criatividade pelo qual a editora tem passado e que a transformou numa das maiores editoras de BD do mundo, a terceira maior do mercado americano.

    Paul Azaceta, o desenhador de Outcast, é um artista cujo estilo simples, directo e arrojado, já ilustrou séries como Demolidor, Punisher Noir, Homem-Aranha e outras. Foi também o co-criador de Graveyard of Empires, com Mark Sable, publicado pela Image. Outcast é o seu trabalho mais mediático e aclamado, onde o seu estilo, geralmente visto nas páginas de comics de acção muito dinâmicos, é posto ao serviço de uma narrativa pausada e inquietante.

    “…Em termos de escrita, Kirkman continua um trabalho tremendo. Embora seja certamente um comic ‘descomprimido’ e com um ritmo calmo de narração, a grande força do livro, e o seu verdadeiro coração, são as caracterizações… A arte continua a ser muitas vezes fantástica e atmosférica… O volume 2 acaba numa nota de calma antes de tempestade, aquele momento mesmo antes do trovão rebentar!”

    – Jordan Richman, Adventures in Poor Taste

    Podem a seguir o anúncio de TV criado pela G.Floy para a FOX Portugal:

    www.youtube.com/watch?v=XcVadHQvd3U

    11.99€
  • A Leoa: Um Retrato Gráfico de Karen Blixen, de Anne-Caroline Pandolfo e Terkel RisbjergLa-lionne_PT-final-3

    A LEOA: UM RETRATO GRÁFICO DE KAREN BLIXEN

    0 de 5

    Anne-Caroline Pandolfo e Terkel Risbjerg – os autores de O Astrágalo – apresentam um retrato audacioso e imaginativo de Karen Blixen, a autora de “África Minha” e “A Festa de Babete”, uma das mulheres mais livres e originais da primeira metade do século 20, e que deixou uma marca indelével e complexa na cultura do seu país, a Dinamarca.

    A vida (ou as vidas) da Baronesa Karen Blixen desfila à nossa frente neste álbum. Desde uma infância com um pai adorado mas muito ausente, um aventureiro nunca satisfeito, e com uma mãe encerrada na mentalidade conservadora da Dinamarca do final do século XIX, até uma aventura desesperada para escapar a um destino que lhe tinha sido traçado, burguês e aborrecido: aceita casar com o Barão Bror Blixen, e tomar as rédeas de uma plantação de café no Quénia… onde descobrirá uma paixão louca, o seu grande amor africano… até ao seu regresso à Dinamarca e à sua coroação como autora literária famosa.

    O livro terá lançamento no Festival de BD de Beja, dia 27 de maio, pelas 16h15 no auditório do Teatro Municipal Pax Julia (Largo de São João, no centro de Beja), com a presença dos autores e com uma sessão de autógrafos.

    Anne-Caroline Pandolfo e Terkel Risbjerg trabalham juntos há alguns anos, em adaptações à banda desenhada de livros vários, e em projectos próprios. Anne-Caroline Pandolfo é ilustradora e argumentista; um encontro fortuito com produtores de filmes leva-a a realizar duas curtas-metragens animadas para crianças, e isso vai encorajá-la a continuar esse trabalho criativo na banda desenhada. Terkel Risbjerg é um artista dinamarquês que estudou cinema e filosofia em Copenhaga, e acabou por se fixar em França, onde trabalhou alguns anos em animação, tendo trabalhado nomeadamente em Le Chat du Rabin e na série Yakari. Juntos, assinaram já cinco romances gráficos: O Astrágalo (já editado pela G.Floy), bem como Mine: Une Vie de Chat, Le Roi des Scarabées, e mais recentemente Perceval, adaptação do Romance de Perceval, publicado nas Éditions Le Lombard – e este A Leoa. Para o seu próximo projecto, adaptarão para BD o célebre romance Serena, de Ron Rash.

     

    “Redescoberta pelo grande público pela ocasião da estreia do filme Out of Africa (1985), a autora dinamarquesa não se pode reduzir a um único romance. E é isso que demonstram Anne-Caroline Pandolfo e Terkel Risbjerg com A Leoa. Morta aos setenta e sete anos, Karen Blixen no fim apenas viveu dezassete anos na sua fazenda de Mbogani! (…) Um álbum que não é bem uma autobiografia no sentido estrito, mas sim um álbum que retoma os princípios do conto, em que a singularidade do destino da heroína é entendida através do olhar das fadas totémicas que se aproximaram do seu berço e zelaram para que ela se tornasse quem acabou por ser.”

    Chroniques BD Gest

     

    Para uma interessante entrevista dos autores ao célebre programa de TV Francês La Grande Librairie! apresentado por François Busnel, veja o seguinte vídeo:

    https://youtu.be/YsV9FTW0M8o

    17.99€
  • Harrow County Vol.2: Duas Vezes Contado, de Cullen Bunn e Tyler CrookPT-Harrow-County-2-HC-#5-1

    HARROW COUNTY VOL. 2: DUAS VEZES CONTADO

    0 de 5

    Depois de desvendar a estranha e terrível história de Harrow County, bem como a sua bizarra ligação às suas gentes, Emmy forjou uma nova e profunda relação com as terras que a rodeiam e com as suas criaturas – mas enquanto Emmy procura aprofundar a sua relação com os seus vizinhos da vila, uma presença ao mesmo tempo familiar e sinistra reúne uma força negra com a qual irá desafiá-la…

     

    Uma história terrível e onírica ao estilo “southern gothic”, criada pelo escritor Cullen Bunn e assombrosamente desenhada e pintada pelo artista Tyler Crook.

     

    “Harrow County é à vontade o melhor comic de terror actual.”

    – BloodyDisgusting.com

     

    “Fascinante, inquietante e assustador, e visualmente brilhante.”

    – Kurt Busiek (Astro City, Marvels)

     

     

    Cullen Bunn é um autor de comics americanos, bem conhecido pelas histórias que escreveu para a Marvel, em particular para Uncanny X-Men e várias mini-séries de Deadpool, bem como pelas suas próprias séries, The Damned e The Sixth Gun (publicadas pela Oni Press). Como romancista, Cullen Bunn já foi nomeado para o Bram Stoker Award (que distingue a melhor ficção de terror) e para dois Eisners, um dos quais por Harrow County.

     

    Tyler Crook trabalhou durante anos na indústria de vídeojogos, até ao lançamento, em 2011, de Petrograd, uma novela gráfica escrita por Phillip Gelatt, e publicada pela Oni Press, que marcou a sua estreia na BD. Desde então, tem trabalhado em projectos independentes, incluindo em B.P.R.D. (no universo de Hellboy), Witchfinder, Badblood, etc... Crook venceu também um Russ Manning Award, um prémio atribuído durante os Eisners, e que premeia o trabalho de um estreante no mundo da BD.

     

    Este volume inclui também uma extensa galeria de esboços e estudos preliminares, anotada e comentada pelo artista, com uma ênfase no processo de criação das capas, e uma galeria de pinups desenhados por uma variedade de artistas de comics.

     

    Reúne os #5 a 8 de Harrow County. Série prevista para um total de seis volumes.

    9.99€
  • A Cultura na Primeira Página

    A CULTURA NA PRIMEIRA PÁGINA

    0 de 5

    Talvez um dia os jornais se façam sem jornalistas. E sem notícias. Pelo menos, sem notícias sobre temas culturais. Os resultados do projeto de investigação “Cultura na Primeira Página” mostram uma diminuição da visibilidade da cultura nos media. A representação jornalística da cultura coloca-a em locais que não costumava frequentar: em paisagens de lazer e entretenimento. Dentro de um paradigma em que tudo é cultural, os media tornaram-se alegres companheiros desta viagem pelas esquinas da diversão e da “boa vida”. Neste livro, vários autores refletem sobre as transformações do jornalismo cultural, as razões que alteraram tão profundamente uma relação antiga entre jornalismo e cultura e os impactos para a cidadania de uma diminuição da crítica e da reflexão sobre o campo cultural.

    12.90€
  • Corta-e-Cola/Punk Comix

    CORTA-E-COLA / PUNK COMIX

    0 de 5

    Dois livros em um, ou seja um split-book, bem à punk!

    No ano em que se “celebram” os 40 anos do punk em Portugal, a Chili Com Carne, em parceria com a Thisco, edita o (duplo) livro sobre este fenómeno: Corta-e-Cola : Discos e Histórias do Punk em Portugal (1978-1998) de Afonso Cortez e Punk Comix : Banda Desenhada e Punk em Portugal de Marcos Farrajota.

    Escrito a partir de um levantamento exaustivo de fanzines, discos e demo-tapes, ao longo de 256 páginas, os autores dissecam todo esse material para tentarem perceber como através de uma ética – do-it-yourself – se conseguiu criar uma (falta de) estética caótica e incoerente que hoje se identifica como punk. Através da produção gráfica desse movimento se fixaram inúmeras estórias – até agora por contar – de anarquia e violência; de activismo político, manifestações e boicotes; de pirataria de discos e ocupação de casas; de lutas pelos direitos dos animais; de noites de copos, drogas e concertos…

    Corta-e-Cola / Punk Comix é ilustrado com centenas de imagens, desde reproduções de capas de discos a páginas de fanzines, cartazes, vinhetas e páginas de BD, flyers e outro material raramente visto. E porque punk também é música, o livro vêm acompanhadas por um CD-compilação com 12 bandas de punk, rock ou música experimental actuais como Albert Fish, Dr. Frankenstein, The Dirty Coal Train, Presidente Drogado, Putan Club, Estilhaços Cinemáticos… As bandas ofereceram os temas, todos eles inéditos, sobre BD na forma mais abrangente possível, sobre personagens (Batman, Corto Maltese), séries (O Filme da Minha Vida), autores (Vilhena, Johnny Ryan) ou livros (V de Vingança,Caminhando Com Samuel). Alguns mais óbvios que outros mas tendo como resultado uma rica mistura de sons que vão desde o recital musicado ao Crust mais barulhento.

    15.00€
  • Cidades - the Lisbon Studio Series Vol. 103-1.Joana

    CIDADES: THE LISBON STUDIO SERIES, VOL. 1

    0 de 5

    Com lançamento marcado para o Festival Internacional de BD de Beja, já no próximo Sábado, CIDADES é o primeiro volume de uma colecção de antologias de histórias curtas pelos membros do The Lisbon Studio: sete histórias, oito autores e dois prefácios marcam o início desta série, num volume da melhor banda desenhada que se faz no nosso país!

    Dia 27 de Maio pelas 16h30, no Teatro Municipal Pax Julia, no centro de Beja, estarão presentes vários dos autores para a apresentação e lançamento e haverá uma sessão de autógrafos a seguir.

    …Todas estas cidades, reais e imaginárias, são tão verdadeiras como as feitas de metal e betão. Existem no espaço entre os autores e os leitores, são histórias que vivem nesses entretantos…”

    – do prefácio de Filipe Homem Fonseca

    O The Lisbon Studio é um colectivo de ilustradores, designers e autores de BD, que conta com mais de uma década de existência, e que partilham um espaço com vista para o Tejo, em Santa Apolónia. Originalmente fundado por um pequeno grupo que incluía Jorge Coelho, Rui Gamito, Frederico Penteado e outros, foi-se expandido ao longo dos anos para juntar os maiores nomes da banda desenhada naquela que é, de facto, a casa da BD em Portugal. Autores que trabalham para a Marvel, autores que representam alguns dos maiores best-sellers da BD portuguesa, autores que representam estilos e modos de criação muito variados, incluindo autores que trabalham em design, ilustração, web-design, e mais. No The Lisbon Studio – apesar da constituição dos membros do TLS se ter alterado ao longo dos anos – não só se sente a herança dos seus fundadores, como a marca deixada por todos os que por aqui passaram.

    A TLS Series é uma antologia criada pelos membros presentes do The Lisbon Studio, marcando o regresso deste colectivo ao mundo da edição, depois da publicação de um total de 11 números online – Mag e WebMag, entre 2013 e 2016 – desta vez em parceria com a ComicHeart e a G.Floy Studio.

    11.90€
  • NOCTURNO

    0 de 5

    Seck é um músico de carisma único que vive atormentado pelas visões do seu falecido pai, que persiste em ditar o rumo da vida do frágil e inseguro filho.

    Karen é uma jovem repórter que sonha com leviatãs dos mares e revê-os em transe durante as actuações dos Kraneus, a banda de Seck. Será a ligação umbilical entre os dois suficiente para evitar a lenta caminhada de Seck rumo ao coração das trevas?

    21.99€
  • 9789898673312

    AVENTURAS NA ILHA DO TESOURO

    0 de 5

    “A Ilha do Tesouro é um lugar fantástico, feito de formas e cores exóticas. Essa é uma história sobre os momentos quentes e rasgados da vida, e sobre como uma série de aleatoriedades, curiosamente conectadas, acabaram por levar Capitão – que, ao que tudo indica, será nosso protagonista – a botar seus pés nesse pedaço mágico de terra & gente.”

    Uma viagem libertária, e libertadora, ao imaginário tribal e mitológico do Brasil. Ou como a revolta dos Cabeças-de-Abóbora contra uma qualquer guarda real invasora pode despoletar uma aparente ligação onírica a um estranho limbo, povoado pelas narrações e desabafos de um demiurgo mascarado que procura lidar com a perda do pai.

    19.95€
  • Jardim de Inverno, de Renaud Dillies e Grazia La Padula

    JARDIM DE INVERNO

    0 de 5

    A gota de água. O transbordar do copo. Ou como o gotejar periódico e crescente vindo do andar de cima levará Sam, um jovem barman de um clube de jazz, a conhecer um velho afável, mas aparentemente senil. Poderá ser ele, porém, o providencial jardineiro das coisas simples e belas que Sam negligenciou durante tanto tempo?

    Um relato invernoso feito de cruéis abandonos, adiados reencontros e chuvosos recontros, e de uma rotina aparente capaz de encerrar, afinal, inusitadas revelações. Inusitadas e belas como um jardim.

    17.99€
  • 9789899972520

    SOCIEDADE COOPERATIVA ALMADENSE: PERCURSOS E METAMORFOSE

    0 de 5

    O presente texto, fruto de pesquisa documental e de diversos testemunhos orais, revisita, de uma forma transversal, os espaços, organização e dinâmicas da Sociedade Cooperativa Almadense (SCA), constituída formalmente em 1 de janeiro de 1891, por um grupo de operários tanoeiros e corticeiros.

    Apesar de ter sido a primeira cooperativa de consumo constituída em Almada e de se ter mantido em atividade até à década de 1990 enquanto tal, com um ligeiro interregno antes do 25 de Abril de 1974, a SCA não despertou particular atenção por parte dos investigadores em história local, o que poderá dever-se, entre outras razões, à escassez de documentação arquivística que lhe respeite, ao seu menor número de associados e, porventura, menor protagonismo político, consequência da sua localização e área de influência.

    Durante a década de 1950, a Cooperativa sofreu uma profunda remodelação, atualizando-se, e oferecendo novos serviços aos assocaados. Dispunha então, além de biblioteca, de fancaria, secção de casa, drogaria, mercearia, carvoaria, talho, peixaria e banca de frutas e legumes. Paralelamente constituiu parcerias na área da assistência médica e desportos.

    Em 2007, por razões financeiras, viu-se obrigada a encerrar definitivamente a atividade.

    6.00€
  • A Pureza Perdida do Desporto - Futebol no Estado Novo, de Rahul Kumar

    A PUREZA PERDIDA DO DESPORTO: FUTEBOL NO ESTADO NOVO

    0 de 5

    Entre a década de 1920 e meados da década de 1960, o futebol elitista do início do século XX transformou-se num dos elementos centrais da cultura popular portuguesa contemporânea. Ao longo deste período, o futebol português deixou de ocupar uma posição periférica no contexto europeu para assumir um lugar de destaque no plano internacional. Estas mudanças são muitas vezes explicadas por factores políticos – o Estado Novo fomentou o crescimento deste desporto – e analisadas em função das suas consequências culturais – a massificação do gosto pelo futebol foi um dos elementos que contribuíram para a durabilidade do regime. Trata-se de uma ideia que, através da fórmula «Fado, Fátima e Futebol», adquiriu a firmeza das convicções do senso comum.

    Este trabalho – distinguido, em 2015, com o Prémio Fundação Mário Soares/EDP e com uma menção honrosa no Prémio CES para jovens cientistas sociais de língua portuguesa – analisa em detalhe a forma como as principais instituições do Estado Novo se relacionaram com o mundo desportivo. A evolução do estatuto dos atletas, e a oposição entre os defensores do amadorismo e do profissionalismo, é o  o condutor desta narrativa. Integrando as batalhas que moldaram o desenvolvimento do futebol em Portugal no programa ideológico do salazarismo, esta investigação procura questionar os limites e as possibilidades de autonomia do campo cultural e contribuir para um conhecimento mais detalhado sobre as configurações do poder no espaço social português contemporâneo.

    19.10€
  • Illustrated Lisbon, Cascais e Sintra, de Joana Viegas

    ILLUSTRATED LISBON, CASCAIS, SINTRA

    0 de 5

    “Da sensibilidade e do traço únicos da ilustradora Joana Viegas, chega-nos este bonito conjunto de ilustrações da cidade de Lisboa e das magníficas vilas vizinhas de Sintra (Património Mundial da UNESCO) e Cascais: morada de aristocratas, famílias da realeza, de espiões, refugiados, aventureiros, e redutos inspiradores de escritores, poetas e artistas ao longo dos tempos.

    Dos monumentos históricos aos bairros típicos, da arquitectura pública ao casario antigo e às ruelas estreitas, passando pelas bonitas praças, o rio Tejo, as praias, os palacetes, palácios e as casas senhoriais, este livro oferece um registo magnífico, repleto de vida, força e cor, que constitui uma recordação muito particular desta fascinante zona de Portugal e do extremo atlântico da Europa continental”

    English

    “From illustrator Joana Viegas’s unique sensibility and style comes this delightful collection of artwork featuring the city of Lisbon and the charming nearby towns of Sintra (a UNESCO World Heritage Site) and Cascais — places long home to aristocrats, royal families, spies, refugees, and adventurers, as well as inspirational havens for writers, poets, and artists through the ages.

    From historic landmarks to classic neighborhoods, from public architecture to quaint façades and narrow alleys, along with charming squares, the Tagus River, beaches, villas, palaces, and manors, this book offers wonderful depictions filled with life, energy, and color, creating a distinctive memento of this fascinating region of Portugal at the far Atlantic end of continental Europe.”

    9.90€
  • Mensur, de Rafael Coutinho

    MENSUR

    0 de 5

    Um dos artistas mais talentosos da Banda Desenhada brasileira, Rafael Coutinho, está de regresso com este que é o seu mais ambicioso trabalho desde “Cachalote”, romance gráfico criado em parceria com o escritor Daniel Galera e já publicado pela Polvo.

    Em “Mensur”, Coutinho conta a história de Gringo, um andarilho que percorre cidades brasileiras em busca de trabalhos pontuais. É um dos últimos praticantes de mensur, uma luta de espadas surgida entre estudantes universitários na Alemanha do século XV. Enquanto lida com os seus próprios fantasmas e obsessões, um caso amoroso pode colocá-lo em rota de conflito com o seu passado e com segredos que jamais deveriam vir à tona.

    Um dos mais originais e impressionantes trabalhos da BD brasileira, “Mensur” é uma saga pessoal e um épico íntimo da busca por um lugar e, sobretudo, por algum tipo de paz.

    17.99€
  • Corto Maltese: Sol o Sol da Meia Noite, de Juan Díaz Canales e Rubén Pellejero

    CORTO MALTESE – SOB O SOL DA MEIA NOITE

    0 de 5

    1915. Acabado de chegar ao Panamá acompanhado por Rasputine, Corto Maltese está novamente de partida! O destino é São Francisco e a sua Exposição Internacional onde espera encontrar um amigo de longa data, o escritor Jack London. Em troca de lhe fazer chegar essa carta, London promete a Corto uma nova aventura… e um misterioso tesouro! Corto Maltese inicia assim um longo périplo pelas vastas extensões geladas do Grande Norte, numa viagem pautada por inúmeros perigos e ameaças. Porque, sob o sol da meianoite, há outros predadores que rondam para além dos lobos e dos ursos… Criada pelos espanhóis Juan Díaz Canales e Ruben Pellejero, a obra é a primeira história do personagem Corto Maltese escrita sem a participação de Hugo Pratt, e foi inicialmente publicada em França em Setembro de 2015.

    18.65€
  • 9789899967465

    CORTO MALTESE – A BALADA DO MAR SALGADO

    0 de 5

    “Sou o Oceano Pacífico e sou o Maior. É assim que me chamam há já muito tempo, embora não seja verdade que eu seja sempre pacífico”.  É com esta frase que começa A BALADA DO MAR SALGADO, a obra onde surge pela primeira vez Corto Maltese.  Corto Maltese, considerado por alguns a criação maior do autor italiano Hugo Pratt, foi publicado pela primeira vez na revista Sgt. Kirk a 10 de Julho de 1967, comemorando este ano 50 anos.

    26.95€
  • 9789892075860

    CISNE BRANCO

    0 de 5

    Cisne Branco marca nesta data mais uma etapa no percurso de criação literária de Evel Rocha, um autor que se vem demarcando no agrupado dos talentos atuais, num particular destaque que orienta esta oportunidade e a necessidade de uma reflexão em defesa e prática da leitura interdisciplinar do objeto/texto literário, onde ler é apreender igualmente um conjunto de orientações que à sua produção subjazem, nomeadamente as linhas estéticas e filosóficas, quer em termos de leituras quer em abordagem ou colocação teórica.

    O texto em apreço oferece-nos o ensejo de situar o autor salense para apreciação da sua quase recente emergência no panorama literário cabo-verdiano, ao mesmo tempo que lança ao leitor o desafio de descortinar (na sua trajetória e percurso) alguns dados pouco conhecidos no cenário da realização escrita e das temáticas que marcam as suas obras, desde Marginais e Estátuas de Sal até este Cisne Branco.

    15.00€
  • Histórias de Outro Mundo

    HISTÓRIAS DO OUTRO MUNDO

    0 de 5

    A obra conta com a participação de 15 autores e quer homenagear a Ficção Científica através de um conjunto de histórias desenhadas por novos autores portugueses de banda desenhada com influências que vão desde o franco-belga, passando pelos comics americanos acabando no mangá, uma verdadeira identidade lusa.

    Autores participantes:

    Pepedelrey, Álvaro, Catarina Dantas, João Monteiro, Inês Viegas, Nuno Penas, Inês Garcia, Tiago Cruz, André Rodrigues, Patrik Caetano, Ricardo Lopes, Rafael Henriques, Jorge Deodato, Sharon Mendes, Ricardo Tércio

    14.00€